Segunda, 16 Setembro 2019

NERBA - Associação Empresarial - Rui Barata

Rui Barata

Rui Barata

Representações NERBA-AE

 

Representações NERBA-AE

 

 

[accordion]

[accordion_item title='Conselho Geral do Agrupamento Emídio Garcia']

O NERBA-AE, representado pela coordenação do DAE, foi cooptado ao Conselho Geral do Agrupamento Emídio Garcia

Emídio Garcia

[/accordion_item] 

[accordion_item title='Conselho Consultivo da Comarca de Bragança']

O NERBA-AE, representado pelo seu Presidente da Direção, é membro do Conselho Consultivo da Comarca de Bragança

Comarca de Bragança

[/accordion_item] [/accordion]

 

[accordion]

[accordion_item title=' Parque Natural de Montesinho']

O NERBA integra o Conselho Estratégico do Parque Natural de Montesinho.

image large

[/accordion_item] 

Novo regime de Segurança Social dos recibos verdes

Novo regime de Segurança Social dos recibos verdes

 

Taxas baixam, mas entidades contratantes vão pagar mais

 

No passado dia 9/1, foi publicado um Decreto-Lei (nº2/2018) que estabelece as novas regras de Segurança Social aplicáveis aos trabalhadores independentes.

A primeira alteração consiste na redução das taxas dos actuais 29,6% para 21,4% e de 34,75% para 25,17 para os empresários em nome individual. Trata-se de uma diminuição significativa, pelo que o acordo prevê uma compensação da perda das receitas. A compensação será realizada da seguinte forma:

  • Aumento de 5% para 7% ou 10% da taxa a aplicar às entidades contratantes;
  • Eliminação da isenção de contribuições para quem já desconta como dependente, para os rendimentos acima de €1.715 euros por mês (4 vezes o IAS).

Assim, as entidades contratantes vão pagar contribuição conforme a incidência dos seus pagamentos nos rendimentos dos trabalhadores considerando-se 2 escalões: entre 50% e 80% aplicar-se-á uma taxa de 7% (actualmente há isenção) e acima de 80% vigorará uma taxa de 10% (actualmente 5%).

Os cálculos das contribuições passam a ser realizados com base na média dos rendimentos obtidos nos últimos 3 meses, deixando de haver escalões, havendo uma base contributiva de 70%. Depois, é possível haver uma majoração ou minoração de 25% se o contribuinte o desejar. Contas feitas, a taxa real situar-se-á nos 11,24% dos rendimentos obtidos.

Para além disso, haverá uma taxa mínima de €20 em vez dos actuais €62 que confere protecção social, para evitar as situações de constante início e cessação de actividade.

 

Consulte aqui o Decreto-Lei n.º 2/2018 – Diário da República n.º 6/2018, Série I de 2018-01-09

Foi publicado um estudo pelo INE sobre o trabalho por conta própria em Portugal

72,5% dos trabalhadores por conta própria em Portugal não têm pessoas ao serviço

 

No 2.º trimestre de 2017, o número de trabalhadores por conta própria em Portugal era de 806,2 mil, o que corresponde a 16,9% da população empregada total. Daqueles, 27,5% exerciam a sua atividade com pessoas ao serviço (como empregadores) e 72,5% faziam-no sem pessoas ao serviço (como isolados). Sobre os resultados do módulo ad hoc de 2017, destacam-se ainda os seguintes relativamente aos trabalhadores por conta própria:
• Mais de metade (53,0%) declaram ter tido 10 ou mais clientes em que nenhum deles tinha posição dominante.
• Quase dois terços (63,7%) indicaram ser os próprios quem decide o horário de trabalho diário.
• Um terço (33,6%) apontaram como principais razões para estarem nesta situação na profissão ter aparecido um boa oportunidade e dar continuidade ou trabalhar num negócio familiar.
• 29,5% mencionaram como principais dificuldades sentidas no exercício da atividade económica os períodos sem trabalho e a existência de clientes que não pagam ou que pagam tarde.
• Quase um terço (30,6%) trabalham com parceiros profissionais.
• 57,5% não preveem empregar pessoas nem recorrer a subcontratações nos próximos 12 meses.
• Têm níveis médios de satisfação no trabalho menores do que os trabalhadores por conta de outrem, mas maior autonomia profissional.

 

Consulte aqui o Estudo

Fóruns Novo Rumo a Norte

Fóruns Novo Rumo a Norte

 

Em Janeiro de 2018

 

Os fóruns são áreas de debate interativas onde os utilizadores registados do Novo Rumo a Norte podem pedir e partilhar as suas opiniões, conselhos e experiências como empreendedores.

 

Em janeiro, o Novo Rumo a Norte vai abrir três fóruns temáticos que serão dinamizados por consultores especialistas prontos a ajudar e a partilhar soluções consigo:

1. Fórum “Da ideia ao Prémio Novo Rumo a Norte”
Dinamizado por Ricardo Cibrão nos dias 9 e 23 de Janeiro

2. Fórum “Financiamento para o meu negócio”
Dinamizado por António Luís Ferreira nos dias 10 e 24 de Janeiro

3. Fórum “Marketing Digital e comércio online”
Dinamizado por Soraia Gonçalves nos dias 11 e 25 de Janeiro


A quem se destinam?
Empreendedores e Empresários do Norte de Portugal

Onde decorrem os Fóruns?
Os fóruns decorrem online em novorumoanorte.pt

Quando decorrem os Fóruns dinamizados?
09/01 das 12h às 19h Fórum “Da ideia ao Prémio Novo Rumo a Norte”
10/01 das 12h às 19h Fórum “Financiamento para o meu negócio”
11/01 das 12h às 19h Fórum “Marketing Digital e comércio online”
--- Os fóruns manter-se-ão abertos para que deixe o seu comentário ou questão, que terá resposta na próxima sessão dinamizada ---
23/01 das 12h às 19h Fórum “Da ideia ao Prémio Novo Rumo a Norte”
24/01 das 12h às 19h Fórum “Financiamento para o meu negócio”
25/01 das 12h às 19h Fórum “Marketing Digital e comércio online”

Como posso participar?
Autentique-se com o NIF e a password que definiu
2º Carregue no botão Fóruns
3º Escolha o Fórum em que pretende participar

PORTAL NOVO RUMO A NORTE

4.ª edição dos Prémios AHRESP

Estão abertas as candidaturas à 4.ª edição dos Prémios AHRESP

 

 

Os Prémios da Associação da Hotelaria, Restauração e Similares de Portugal (AHRESP) é o evento que distingue anualmente os Melhores do Ano nos setores da Hotelaria, Promoção Turística e Restauração, em Portugal.

 

Um evento com o Alto Patrocínio de Sua Excelência, O Presidente da República.

Saiba mais aqui! 

premios ahresp 2018

As 10 inovações disruptivas que (já) estão a mudar o mundo

As 10 inovações disruptivas que (já) estão a mudar o mundo

 

Na saúde, na eletrónica, no comércio e na energia, o mundo está a mudar diante dos nossos olhos. O banco de investimento Citi ajuda-nos a espreitar o que aí vem.

 

Uma equipa multidisciplinar de 16 analistas do banco de investimento Citi acaba de publicar a quarta edição do relatório “Inovações Disruptivas“. São “mais dez coisas que nos devem levar a parar e pensar sobre elas“, pela simples razão de que têm potencial para transformar setores produtivos inteiros e proporcionar saltos gigantes em áreas como a saúde e a energia.

Nas primeiras edições deste relatório, o Citi debruçou-se sobre inovações como a impressão 3D, a internet das coisas, os carros autónomos e a imunoterapia, uma técnica que já está a dar resultados no tratamento de vários tipos de cancro. Desta feita, os especialistas do Citi dão-nos a conhecer inovações como o comércio contextual, a robótica de open source e a epigenética. O mundo está a mudar diante dos nossos olhos — e o Citi ajuda-nos a espreitar o que aí vem.

Saiba mais aqui

Vale Incubação - Candidaturas até 30 de novembro

Vale Incubação - Candidaturas até 30 de novembro


O Vale Incubação concede apoios a projetos de empresas com menos de um ano na área do empreendedorismo através da contratação de serviços de incubação prestados por incubadoras acreditadas.

Consulte o mini-guia 'Passo a Passo' e as FAQs do Vale Incubação para conhecer como pode submeter a sua candidatura.

Mini-guia 'Passo a Passo'

FAQs do Vale Incubação

Ficha de Projeto Centro Qualifica

Ficha de Projeto

Centro Qualifica

 

logoconfinanciado

 

Identificação e Enquadramento do projeto:

Entidade Beneficiária: 502280344, NERBA - Associação Empresarial do Distrito de Bragança

N.º da candidatura: n.º POCH-03-5470-FSE-000704

Título da operação 3.1. Centros Qualifica

Eixo Prioritário 13 - Aprendizagem, qualificação ao longo da vida e reforço da empregabilidade

Prioridade de Investimento 10.iii  Melhoria da igualdade de acesso à aprendizagem ao longo da vida para todas as faixas etárias em contextos formais, não-formais e informais, atualização do conhecimento, das aptidões e das competências dos trabalhadores, e promoção de percursos de aprendizagem flexíveis, inclusive através de orientação profissional e da validação das competências adquiridas.

Tipologia da intervenção 70 Aprendizagem ao longo da vida

Programa Operacional Capital Humano

Fundo - Fundo Social Europeu

Modalidade de Financiamento:

Contribuição Fundo €176.325,88

Contribuição Pública Nacional €31.116,68

 Orçamento do Estado €31.116,68

Financiamento Público €207.444,56

Data de Início do projeto: 01-10-2018

Data de Fim do projeto: 31-12-2020

Síntese do projeto

O Centro Qualifica do NERBA-AE é um centro especializado na qualificação de adultos, vocacionados para a informação, o aconselhamento e o encaminhamento para ofertas de educação e formação profissional de adultos com idade igual ou superior a 18 anos que procuram uma qualificação.

 

 

Objetivos

 Elevar o nível de qualificação da população adulta e reforçar a orientação dos jovens que não se encontram em situação de emprego nem a frequentar qualquer ação de educação ou de formação (NEET).

Resultados contratualizados

Jovens e adultos inscritos

900

Jovens e adultos orientados e encaminhados, relativamente aos inscritos

90%

Adultos não desistentes no processo RVCC

90%

 

 

Metodologia de Implementação

  • Criar uma "porta aberta" funcionando como plataforma de ofertas educativas/formativas, dando acesso aos jovens e adultos, a uma qualificação de nível básico e nível secundário, elevando os níveis de certificação, conferindo valor social às aprendizagens adquiridas ao longo da vida;
  • Reforçar a empregabilidade/qualidade e manutenção do emprego, evidenciando as mais-valias para os ativos do aumento da sua certificação escolar, como meio de aceder a outras qualificações, formação profissional ou carteiras profissionais;
  • Desenvolver competências pessoais/profissionais potenciadoras da Igualdade de Oportunidades e Género, através de sinergias com outros projetos.
  • Continuar a criar instrumentos e produtos inovadores que facilitem a desocultação de competências e a apreensão do referencial de competências-chave por parte do candidato;
  • Reforçar a implantação e reconhecimento do Centro qualifica na Região, pela sua metodologia de trabalho e potenciar a rede de parceiros;
  • Continuar a promover e reforçar a rede de partilha de práticas dentro da NUT III, potenciando a partilha de novos instrumentos, soluções/respostas para as necessidades que surgem no terreno.

Siga-nos