Domingo, 23 Julho 2017

NERBA - Associação Empresarial - Apresentação NERBA-AE

logo nerba

NERBA - Associação Empresarial do Distrito de Bragança

Presidente da Direção

Habinordeste, Sociedade de Construção Lda., representada por Eduardo Malhão

Estrutura Jurídica

Associação Empresarial privada, sem fins lucrativos de âmbito distrital, de utilidade pública, que tem por objectivo a promoção do desenvolvimento das actividades económicas no respectivo distrito nos domínios técnico, económico, comercial, associativo e outros e assegurar aos seus associados uma crescente participação nas decisões e nos programas que com essas atividades se relacionem.

Atividades
  • Empreendedorismo

  • Eventos empresariais

  • Financiamento Empresarial

  • Formação e Qualificação

  • Informação Empresarial

  • Apoio jurídico

  • Consultoria

  • Tecnologia

O âmbito de intervenção territorial é Regional/Norte.

Missão

Promover o desenvolvimento das atividades económicas do distrito de Bragança nos domínios técnicos, económico, comercial, associativo e outros, e, em especial, assegurar aos seus associados uma crescente participação nas decisões e nos programas que com essas atividades se relacionem.

Visão

O NERBA-AE pretende através da excelência, ser uma associação de referência, destacando-se pela apresentação de soluções integradas e diferenciadas que apresenta ao mercado, contribuindo para o progresso económico e social da região, sendo reconhecida pela qualidade dos serviços desenvolvidos, capacidade de inovação e empenhamento na materialização dos seus objetivos.

Valores
  • Procura da Eficiência pela colaboração
  • Ética e a promoção da Igualdade de oportunidades
  • Qualidade do serviço
  • Credibilidade
  • Estabilidade Social
  • Inovação
Princípios de intervenção

A fim de prosseguir os seus objectivos propõe-se o NERBA-AE, designadamente:

  • Promover o estudo de todas as questões que se relacionem com os seus objectivos
  • Dinamizar a actividade associativa da região e incrementar o espírito de solidariedade e de apoio entre os seus associados
  • Organizar e manter serviços de interesse para os seus associados prestando adequada informação, apoio técnico e de consultadoria, designadamente na área de formação
  • Organizar certames, conferências, colóquios, cursos ou quaisquer outras manifestações que contribuam para a realização dos seus objectivos
  • Cooperar activamente com entidades, públicas e privadas, nacionais e internacionais, em tudo o que contribua para o harmónico desenvolvimento regional
  • Filiar-se em associações, confederações e organismos congéneres nacionais e estrangeiros de acordo com as necessidades de realização dos seus objectivos

Âmbito de intervenção
Âmbito Territorial: Regional/Norte
Âmbito Sectorial: Serviços

Política de Qualidade

O NERBA-AE assume como linha de orientação a prestação de serviços com rigor e de forma inovadora, procurando atingir o nível de qualidade exigido para satisfazer necessidades e expectativas de clientes e utilizadores, sustentado na capacidade técnica da sua equipa, evidenciando-se na sua actuação.

O NERBA-AE compromete-se assim:

  • Cumprir a regulamentação aplicável aos serviços prestados pela Associação, os requisitos do cliente, os requisitos normativos (NP EN ISO 9001:2008), bem como outros requisitos subscritos pela entidade
  • Promover a melhoria contínua do sistema de gestão da qualidade, de forma a assegurar a satisfação dos clientes e de outras partes interessadas
  • Estabelecer e rever, periodicamente, os objectivos e metas da qualidade
  • Formar, informar e envolver todos a equipa da Associação na gestão e desenvolvimento do sistema de gestão da qualidade
  • Conseguir uma equipa motivada de profissionais e promover a sua participação activa na prossecução dos objectivos da Associação

  • Actividades do NERBA AE - Associativismo e Apoio Empresarial (Empreendedorismo, Cooperação e Internacionalização) Open or Close

    No recentemente criado Departamento do Associativismo e de Empreendedorismo o NERBA-AE agrega dois vetores da sua atividade – o Gabinete de Apoio Empresarial, que foi criado em 1987 e entretanto extinto, e o Associativismo - cuja principal missão consiste em apoiar os empresários e outros agentes económicos interessados em investir na região, enquadrando as suas intenções de investimento nos sistemas de apoio e incentivos existentes e elaborando os respetivos projetos de investimento.

    Foram também desenvolvidas outras atividades, sobretudo na perspetiva de criação do seu próprio emprego, mediante a criação e reforço de uma rede de informação e assistência técnica, estimulando o empresário a apostar preferencialmente na qualidade do seu produto e investir em novas tecnologias.

    No desenrolar da sua actividade, desenvolveu intensa actividade de informação, realizando diversas acções e sessões de esclarecimento, directamente ou associada ao IAPMEI, ICEP (aicep) e APQ – Associação Portuguesa de Qualidade, APCER, AIP, Entidades bancárias, entre outros.

    Os projectos RIAT TeamNet e o SISCOOP - Programa de Reforço e Dinamização da Cooperação Empresarial, da responsabilidade deste departamento, foram executados durante o ano 2003 e finalizaram no 1.º trimestre de 2004.


    De entre os projectos e serviços prestados à comunidade empresarial, destacam-se:

    • Estudos Metodológicos detalhados sobre Cooperação Empresarial. O trabalho dirige-se aos seguintes dois temas: Aquisição conjunta de bens e serviços intermédios (Central de Compras) e Promoção Conjunta e Internacionalização.
    • Observatório Empresarial Regional é uma ferramenta online que agrega informação estatística sobre um conjunto de indicadores relevantes para a área de intervenção.
    • Guia de Produtos COOPETIR
    • 4 Revistas COOPETIR
    • Participa no protocolo “Empreendouro”, uma rede regional que tem como objectivo trabalhar em conjunto para agilizar o aparecimento de novos empreendedores no Douro.
    • Está integrado, também, na parceria com o Instituto Politécnico de Bragança na promoção do Empreendedorismo regional - Incubadora Virtual de Empresas.
    • Projectos de Cooperação (transfronteiriça ou regional, abrangendo actividades com o intuito de promover a cooperação entre empresas, a captação de investimento directo para as regiões promovendo uma cultura de internacionalização nas empresas,
    • Oferecer toda a informação de interesse empresarial.
    • Promoção da eficiência energética.
    • Criação de redes de cooperação.
    • Promoção do aumento da cooperação entre universidade e empresas.
    • Organização de missões empresariais.
    • Apoio jurídico gratuito às empresas associadas.
    • Espaço de exposições e auditório. O CEB – Centro Empresarial de Bragança com um total de 3.150 m2, abrange um conjunto de outras estruturas, tais como: um bar, uma bilheteira, 4 Salas para apoio a eventos e um gabinete de secretariado. Conta, ainda, com 6 Tasquinhas equipadas com bancas em inox, água e esgoto. Oferece, também, um auditório com capacidade para 234 pessoas, com climatização e equipamento de som.
    • Cartão associado, com regalias especiais obtidas em todas as empresas que estabeleçam com a Associação um acordo nesse sentido.
  • Rede Associativa do Distrito de Bragança Open or Close
    1. AICAF - Associação Industrial e Comercial de Alfândega da Fé,
    2. ACISB - Associação Comercial e Industrial de Bragança,
    3. ACICA - Associação Comercial e Industrial de Carrazeda de Ansiães,
    4. ACISFEC - Associação Comercial e Industrial e Serviços de Freixo de Espada à Cinta,
    5. ACIMC - Associação Comercial e Industrial de Macedo de Cavaleiros,
    6. ACIM - Associação Comercial e Industrial de Mirandela,
    7. ACISM - Associação Comercial, Industrial e Serviços de Mogadouro,
    8. ACIMD - Associação Comercial de Miranda do Douro,
    9. AICM - Associação Industrial e Comercial de Torre de Moncorvo,
    10. ACIFLOR - Associação Comercial, Industrial e Serviços de Vila Flor,
    11. ACIV – Associação Comercial e Industrial de Vimioso,
    12. ACIV - Associação Comercial e Industrial de Vinhais.

    Rede Associativa Regional

    1. UERN: AIMINHO – Associação Industrial do Minho, ACISAT – Associação Comercial Industrial e Serviços do Alto Tâmega, NERBA – Associação Empresarial Bragança, NERVIR – Associação Empresarial Vila Real, AIL – Associação Industrial de Lousada

    Rede Associativa Norte Portugal/Castilla Y Léon:

    1. ADE – Agencia de Desarrollo Económico Valladolid, CEOE-CEPYME – Confederación de Organizaciones Zamoranas de Empresas – Zamora, COCI - Câmara de Comércio e Indústria – Zamora, CCILE – Câmara de Comércio e Indústria Luso Espanhola, FRAH – Fundação Rei Afonso Henriques
  • Os sócios Open or Close

    A agregação associativa em torno do NERBA-AE tem sido conduzida pela captação directa através de uma campanha de angariação de empresas.

    O NERBA-AE configura-se como uma associação empresarial que atravessa equilibradamente todos os sectores de actividade e que tem potencial de crescimento no volume de associados.

    Contam-se 619 sócios (julho/2015).

  • Pertença a grupos locais ou regionais de desenvolvimento económico Open or Close

    Em termos Institucionais, tem colaborado com diversas entidades, promovendo ações conjuntas ou participando nas decisões, enquanto membro dessas instituições.

    O NERBA-AE está representado, através do seu Presidente e/ou por sua Delegação:

    • Vice-Presidente Conselho Geral da CIP
    • Direção da UERN – União da Associações Empresariais da Região do Norte
    • Membro da direção da AIP/CCI - Associação Industrial Portuguesa – Câmara de Comércio e Indústria
    • Presidente Conselho Fiscal da TRANSTEC (Associação para a Transferência de Tecnologia)
    • Assembleia Geral CORANE (Associação de Desenvolvimento Terra Fria Transmontana)
    • Membro do Patronato de Honor da FRAH – Fundação Rei Afonso Henriques
    • Membro do Conselho Consultivo do Centro de Formação Profissional de Bragança
    • Membro do Conselho de Segurança
    • Membro do Conselho de Educação
    • Membro das Redes Regionais de Emprego
    • Membro da ADR - Associação do Desenvolvimento Regional
    • Sócio Fundador do CITMAD – Centro de Inovação de Trás-os-Montes e Alto Douro” (rede BIC)
    • Membro da Rede Regional de Empreendedorismo, liderada pelo IPB
    • Membro da Rede Empreendouro/UTAD - Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro
    • Membro da Rede RSOPT – Responsabilidade Social
    • Membro do Concelho Geral do Agrupamento de Escola Emídio Garcia
    • Membro da Rede Social de Bragança
    • Membro da Comunidade para a Economia Cívica de Bragança
    • Membro do Conselho Consultivo do Tribunal Judicial da Comarca de Bragança
    • Membro do Conselho Estratégico do Parque Natural de Montesinho

    Em termos de parcerias estratégicas, o NERBA-AE é:

    • Parceiro da Rede Social do Concelho de Bragança
    • Parceiro da Plataforma FINICIA de TMAD
    • Pólo Regional da APQ – Associação Portuguesa para a Qualidade
    • Pólo do Centro de Inovação, instalado no ISQ – Instituto Português de Soldadura e Qualidade
    • Assinou o Pacto para o Emprego e a Empregabilidade
    • Entidade certificada pela DGERT
    • Centro para a qualificação e ensino profissional e entidade prestadora de apoio técnico no âmbito do Programa de Apoio ao Empreendedorismo e à Criação do Próprio Emprego (PAECPE), credenciado pelo IEFP, integrando uma rede de 50 entidades a nível nacional
    • Parceria no projeto Novo Rumo a Norte da AEP - Associação Empresarial de Portugal, Câmara de Comércio e Indústria
    • Centro de Qualificação e Ensino Profissional - CQEP (despacho n.º 1434/2014)
  • Entidade prestadora de apoio técnico no âmbito do Programa de Apoio ao Empreendedorismo e à Criação do Próprio Emprego (PAECPE), credenciado pelo IEFP Open or Close

    O NERBA-AE foi credenciado pelo IEFP como EPAT - entidade prestadora de apoio técnico, no âmbito do Programa de Apoio ao Empreendedorismo e à Criação do Próprio Emprego (PAECPE).

    O objetivo desta credenciação é:

    • Prestar Apoio Técnico à Criação e Consolidação de Projetos a projetos que tenham obtido financiamento nos termos do "Programa de Apoio ao Empreendedorismo e à Criação do Próprio Emprego" do IEFP.
    • O Apoio Técnico à Criação e Consolidação de Projetos desenvolve-se no período posterior à aprovação do crédito ou da antecipação das prestações de desemprego, e é prestado entre o momento de celebração do contrato de prestação de apoio técnico entre a empresa e a entidade e o fim do segundo ano de atividade da empresa

    Tipo de Apoio Prestado compreende as seguintes atividades:

    • Acompanhamento;
    • Ações de formação;
    • Consultoria
  • EMPREENDOURO Open or Close

    O NERBA-AE é uma das 25 entidades públicas e privadas que se encontram envolvidas nesta acção dinamizada pela Estrutura de Missão do Douro.

    O protocolo “Empreendouro” criou assim uma rede regional que vai trabalhar de forma integrada perseguindo um objectivo: criar emprego.

    O seu Objectivo é trabalhar em conjunto para agilizar o aparecimento de novos empreendedores no Douro. A dinamização do empreendedorismo como estratégia de desenvolvimento exige que seja assegurado o acesso dos empreendedores à sociedade da informação e do conhecimento, devendo ser incentivado o uso das tecnologias da informação e de comunicação e a participação em rede das diversas instituições. Neste contexto, o projecto visa em termos gerais a promoção de uma cultura de inovação e de empreendedorismo nos territórios do Douro, tendo como objectivos específicos.

    Neste âmbito, está em execução o projecto – Douro Empreendedor (financiado pelo Programa Operacional da Região do Norte, "Promoção e Capacitação Institucional - Redes Institucionais/2010"). O Nerba, em parceira com a Nervir está encarregue da Actividade 4 – Cartão Douro.

    Esta actividade Cartão Douro que desenvolver-se-á da seguinte forma:

    • Acções de benchmarking - Identificar e visitar locais/entidades enquanto casos de estudo internacionais (exemplos inspiradores), com maior incidência no espaço europeu, que pela sua relevância constituam valor para a concepção do produto - cartão DOURO.
    • Conceção do Modelo - Concretizar o modelo do produto e Identificar os recursos e meios necessários para operacionalização do Cartão Douro. Elaborar Proposta de Modelo com recurso a serviço de consultoria especializada (marketing relacional e TIC).

    No âmbito das outras actividades do Douro Empreendedor, especificamente a Actividade 2 - Prémio/ Distinção Douro, que visa distinguir o que de melhor se faz no Douro em termos de empreendedorismo, inovação e promoção, o NERBA-AE pertence ao júri constituído. Esta actividade é da responsabilidade da UTAD – Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro.

  • Promoção do Empreendedorismo Regional - Incubadora Virtual de Empresas Open or Close

    O NERBA-AE estabeleceu parceria com o IPB - Instituto Politécnico de Bragança com o objectivo de Projectar e desenvolver várias iniciativas, partilha de interesses, promoção de acções formativas para a promoção do Empreendedorismo Regional.

  • Programa FINICIA e FINICIA Jovem - Financiamento no arranque de empresas Open or Close

    O FINICIA é um programa que facilita o acesso a soluções de financiamento e assistência para projetos empresariais diferenciadores, próximos do mercado ou com potencial de valorização económica:

    • Na fase de criação da empresa
    • Em empresas nos 4 primeiros anos de atividade
    • Em projetos de interesse local, em mais de 100 municípios protocolados
  • Sócio Fundador do CITMAD - Centro de Inovação de Trás-Os-Montes e Alto Douro Open or Close

    O CITMAD - Centro de Inovação de Trás-os-Montes e Alto Douro - acolhe o BIC TMAD - Business Innovation Centre de Trás-os-Montes e Alto Douro. Tem como objectivo projectar e desenvolver várias iniciativas, partilha de interesses, promoção de acções formativas. O CITMAD pretende ser um instrumento de desenvolvimento regional.

    Nesta perspectiva é a sua missão a promoção do espírito empreendedor como caminho para o desenvolvimento, tendo como resultado esperado a criação de empresas inovadoras, bem como o desenvolvimento de PME existentes.

    Foram 71 as entidades que tornaram possível a constituição do CITMAD, sendo elas representantes do Ensino Superior Público e Privado, dos Municípios, através das Empresas Municipais, das Agências de Desenvolvimento e associações empresariais.

  • Cooperação Open or Close

    A nível da cooperação, são desenvolvidos vários contactos com entidades atuantes em áreas semelhantes, com vista a uma adequação e articulação de atividades conjuntas a levar a cabo, em cooperação, nas respetivas regiões.

    Segue a apresentação breve de projetos concretizados em cooperação com várias entidades:

    Projecto 1: Projecto PCE - “Plataforma de Cooperação Empresarial”

    O NERBA-AE foi chefe de fila, até Março de 2005, na execução do Projecto PCE - “Plataforma de Cooperação Empresarial” no âmbito do Programa de Cooperação Transfronteiriça, Portugal – Espanha da Iniciativa Comunitária Interreg IIIA.

    O objectivo deste projecto foi criar laços de cooperação e desenvolvimento empresarial entre as regiões transfronteiriças Norte de Portugal/Castilla Y León. O projecto visou ainda a captação de investimento directo para as regiões promovendo, ainda, uma cultura de internacionalização nas empresas.

    No âmbito deste Projecto, foram realizadas duas Feiras de Cooperação Empresarial entre empresários do Distrito de Bragança e do Município de Zamora, de forma a estimular o intercâmbio de experiências e conhecimentos e criar trocas de informação entre as empresas das regiões envolvidas.

    Em Junho de 2004 foi realizada a 1ª Feira de Feira de Cooperação Empresarial em Zamora, com a participação de 12 empresas portuguesas e 18 empresas espanholas.

    Sector de actividade das empresas 1.ª FECOP:

    • Agro-alimentar 50%
    • Fabrico e comercialização de mobiliário 10%
    • Têxtil 13%
    • Comércio de peles e calçado 3%
    • Comércio de brinquedos 3%
    • Tanoaria 3%
    • Cutelaria 3%
    • Retomador de resíduos 3%
    • Construção civil e obras públicas 3%
    • Energias renováveis 3%
    • Comercialização de equipamento hoteleiro 3%

    A 2.ª Feira de Cooperação Empresarial realizou-se a 20 e 21 de Agosto/2004 em Bragança, contando igualmente com a presença de 12 empresas portuguesas e 18 espanholas.

    Sector de actividade das empresas 2.ª FECOP:

    • Agro-alimentar 57%
    • Retomador de resíduos 3%
    • Têxtil 13%
    • Tanoaria 3%
    • Comercialização de mobiliário 17%
    • Cutelaria 3%
    • Circuito de corridas 3%

    Foi realizada uma Missão Empresarial à República Checa, de 8 a 13 de Maio de 2004. Participaram nesta Missão empresarial 10 Empresas Portuguesas e 5 Espanholas.

    O objectivo, cumprido, desta Missão Empresarial foi proceder à promoção e afirmação das potencialidades da região Norte de Portugal – Castilla Y León.

    Sector de actividade das empresas na Missão Empresarial à República Checa:

    • Agro-alimentar 30%
    • Tanoaria 10%
    • Têxtil 10%
    • Cutelaria 10%
    • Retomador de resíduos 10%
    • Rádio 10%
    • Construção civil e obras públicas 10%
    • Transformação de pedras ornamentais 10%

    Outras actividades inseridas neste projecto foram a realização de dois estudos, com os seguintes temas: levantamento dos apoios à internacionalização para as empresas do Distrito de Bragança e a definição de um modelo de cooperação empresarial.

    Os mesmos estudos foram apresentados em CDROM multimédia, disponibilizados para toda a comunidade empresarial, através da realização de uma sessão de encerramento.

    • Estudo de definição de um modelo de cooperação empresarial
      Em suporte digital- Destinatários: NERBA, núcleo empresarial da região de Bragança e a CEOE-CEPYME Zamora.
    • Levantamento dos apoios à internacionalização para as empresas do Distrito de Bragança
      Em suporte digital - Destinatários: empresas do distrito de Bragança
      Elaborado por S2E2 – Sociedade de Estudos Económicos e Sociais, Lda/Lisboa
    • Medidas de Apoyo e la Internacionalización para las empresas de la província de Zamora
      Em suporte papel - Destinatários: empresas da província de Zamora

    Projecto 2: COEMCA-NORTE – Cooperação Empresarial Castilla Y León – Norte de Portugal

    No âmbito do COEMCA NORTE, o NERBA-AE realizou as seguintes actividades:

    1. Criação de um Gabinete de Apoio à Cooperação Empresarial

    • Serviço prestado pelo Gabinete:
    • Parceria na organização das Jornadas Luso-Espanholas de Prevenção de Riscos
    • Elaboração do dossier de caracterização e informação de Angola
    • Lista de contactos de empresas da região Norte de trabalho temporários
    • Divulgação da festa do Vinho e produtos regionais
    • Presença do NERBA-AE na feira de Santarém
    • Informação legislação sobre ambiente
    • Parceira para a realização do Fórum Moçambique, Bragança
    • Lista de contactos de empresas do sector da hotelaria e restauração
    • Divulgação da visita da equipa técnicos israelitas especialistas em irrigação
    • Divulgação do Fórum Missão Exportar, em Viseu e Braga
    • Lista de empresas de inspecção técnica de maquinaria agrícola
    • Lista de agência viagens
    • Encontro de empresas de produtos tradicionais para a empresa Global Gourmet, no NERBA-AE
    • Lista de fabricantes/comercialização de barbecues
    • Lista de produtos regionais DOP e IGP
    • Divulgação da 10.ª feira de artesanato e gastronomia Vila Real
    • Presença do NERBA-AE na Norcaça e Norpesca
    • Seminário Ibérico-Promoção e preservação dos recursos Ambientais e naturais
    • Visita à Mirapapel do embaixador de Moçambique
    • Cedência de Sala de reuniões para empresa Pevafersa-Toro/Zamora
    • Pedido de lista de feiras da região de Castilla y León
    • Presença nas II jornadas sobre Energias renováveis (Valladolid)
    • Visita à Mecapisa
    • Visita ao Parque Tecnológico de Boecillo
    • Envio de contactos para o Ayuntamiento de Trabanca

    2. Criação de um Espaço Virtual conjunto, que permite às empresas aceder a toda a informação de interesse empresarial (legislação, internacionalização, projectos de cooperação, etc.) – www.coemca.net.

    3. Criação de um Serviço de Formação para a Internacionalização através de encontros e sessões de formação:

    Serviço de Formação para a Internacionalização

    Acção 3 – Serviço de formação para a Internacionalização

    Actividades N.º de presenças

    • “Dossier fiscal para Exportação/Importação” 11
    • Factores chave de um processo de internacionalização 12
    • Espanhol De Negócios - Iniciação 13
    • Espanhol de Negócios – Avançado 12
    • Espanhol de Negócios – INICIAÇÃO (acção 1) 13
    • Espanhol de Negócios – INICIAÇÃO (acção 2) 13
    • Realização de auto-diagnósticos do potencial de internacionalização) 3

    4. Realização da AmbIbéria – Ambiente Ibérico
    4.1. Ciclo de sessões debate:
    Gestão de resíduos industriais
    Eco-eficiência energética em edifícios
    Energias Renováveis – legislação e incentivos
    Eficiência e poupança energética
    Casos de boas práticas empresariais
    4.2. Mostra empresarial ibérica, com as seguintes actividades:
    4.3. Espaço Empresas
    4.4. Espaço Instituições/associação
    4.5. Outras Actividades paralelas:
    4.6. Exposições temáticas:
    "O futuro do nosso clima: o homem e a atmosfera", Instituto do Ambiente
    Os media local e o Ambiente: dois anos em análise, parceira com a imprensa regional de Bragança e Vila Real
    4.7. Pegada ecológica, EarthFootprint
    4.8. Auto-Avaliação de Eco-Eficiência das empresas, projecto ECOPME
    4.9. Guia de Consumo sustentável, parceria DECO/LIPOR
    4.10. Ambiente num minuto: em rádio, apresentar na grelha de programação da rádio, sugestões de práticas diárias
    4.11. Test drive viatura híbridas, Toyota

    Para a realização desta actividade foram mobilizados parceiros regionais, nacionais e transfronteiriços:
    Comissão de Coordenação e Desenvolvimento da Região Norte, Resíduos do Nordeste EIM, Amb3E, ARAN – Associação Nacional do Ramo Automóvel, Instituto Politécnico de Bragança, Fundação CIDAUT e a Fundação CARTIF Ente Regional de la Energía de Castilla y León (EREN) e peritos Qualificados pela ADENE – Agência para a Energia.

    As empresas PEVAFERA, MIRAPAPEL, MORPHOPOLIS, Signinum, Gestão do Património Cultural, BOM GÁS, Mecapisa, Portugal contribuíram com a sua prática.

     

    Projecto 3: PROCESSINOV – Processos de Inovação

    A UERN - União das Associações Empresariais da Região Norte e o Idite-Minho promoveram, “ProcessInov – Processos de Inovação”, no âmbito da medida 1.4 (Valorização Regional) do ON (Operação Norte).

    Um dos objectivos do projecto consistiu na localização das denominadas boas práticas, ao nível da inovação (dentro do conceito aludido no item Introdução), em micro e pequenas empresas, provenientes da região norte, de diferentes sectores de actividade, visando o desenvolvimento de casos de estudo, com vista à sua disseminação junto do tecido empresarial regional e organizações na sua envolvente.

    - Desenvolveram um conjunto de CASOS DE ESTUDO em micro e pequenas empresas, que pudessem servir enquanto modelo de referência, ao nível da inovação, para os demais empresários. Foram assinaladas 11 micro empresas, de vários sectores de actividade:

    - Realizaram-se ENTREVISTAS, junto de representantes de empresas, de organizações na envolvente empresarial e do sistema científico e tecnológico, sobre a temática “ligação universidade empresa”, quer no sentido de estimular a reflexão dessa problemática, quer visando a recolha de bons exemplos que essa parceria tenha traduzido.
    Das intervenções resultou um relatório individualizado por empresa, sustentado em formulário específico, que, após revisto pelos empresários, deu origem às versões ora editadas.

    Os diferentes casos de estudo encontram-se inseridos em suporte digital nos sítios da UERN (www.uern.pt, projectos regionais, e www.uern.pt/riat, biblioteca – gestão da inovação) e IditeMinho (www.idite-minho.pt).

     

    Projecto 4: Sessão de Trabalho com Empresas do Alto Trás-os-Montes e Douro

    O IAPMEI - Instituto de Apoio às Pequenas e Médias Empresas e à Inovação, I.P. em parceria com o NERBA-AE e a NERVIR, organizaram duas sessão de trabalho com as empresas do Alto Trás-os-Montes e Douro no âmbito da iniciativa Encontros para a Competitividade do IAPMEI.

    O objectivo desta iniciativa é criar um ambiente propício à discussão de ideias sobre estratégias empresariais, formas de cooperação e dinâmicas de inovação que representem oportunidades de crescimento para as PME portuguesas. As empresas que participarem nestas iniciativas, para além da oportunidade de discutirem entre si temas de interesse comum, podem ainda confrontar as suas ideias e visões de futuro com especialistas nos temas em debate, que participam nas mesmas como facilitadores.

    Estas sessões são orientadas em torno de um conjunto de sub-temas de trabalho dinamizados por uma personalidade que actuará como facilitador do debate no seio dos grupos de trabalho que vierem a ser constituídos.

    Participaram um total de 64 empresas.

     

    Projecto 5: Projecto Cooperação Internacional - Internacionalização De Empresas E Inovação Tecnológica

    O projecto Projeto Cooperação Internacional resultou de uma parceria entre o NERBA-AE e a NERVIR – Associação Empresarial e foi apresentado no âmbito da Acção 1.4. do Programa Operação Norte.

    Este projecto dividiu-se em 3 acções de desenvolvimento, que se apresentam:

    ACÇÃO 1 – Exploração, identificação e selecção de oportunidades de cooperação

    Desenvolver contactos formais com potenciais parceiros

    ACÇÃO 2 – Organização, mobilização e constituição da parceria inter-regional

    Pré-acordo de cooperação entre os parceiros

    O pré-acordo de cooperação resultou dos diversos contactos estabelecidos e pretendeu formalizar a vontade e a disponibilidade para as entidades trabalharem, em parceria, com vista à concretização de um objectivo que, nesta fase, é já comum.

    ACÇÂO 3 - Concepção e planeamento do projecto de cooperação

    O objectivo da acção 3 é conceber e planear o projecto de cooperação.

    A empresa de consultoria contratada construiu o projecto Iberturis, em cooperação com os parceiros, e estão reunidas todas as condições para dar resposta aos anseios e expectativas das regiões envolvidas, no quadro da temática da cooperação e na lógica de dinamização de um sector com valor acrescentado, num plano de sustentabilidade – o turismo, integrando e interligando outros sectores relevantes da actividade económica deste espaço.

    Consequência da participação de todos os parceiros em momentos definidos pela coordenação desta acção, desenvolveu-se um projecto único e, como tal, com um grande grau de inovação, e simultaneamente, de um enorme desafio que o mesmo colocará aquando da sua implementação.

     

    Projecto 6: Rede RSO PT promove Responsabilidade Social das organizações

    O objectivo da Rede Nacional de Responsabilidade Nacional das Organizações (Rede RSO PT), que é coordenada pelo Instituto da Soldadura e Qualidade (ISQ), passa pela promoção e dinamização de actividades de promoção e implantação da responsabilidade social em Portugal, nas instituições públicas, empresas e organizações privadas.

    IBM, HP, Pestana, Somos, Associação Industrial Portuguesa, RSE Portugal, autarquias, IAPMEI, várias organizações não governamentais, o NERBA, são alguns dos membros que integram esta entidade, criada em 2008.

     

    Projecto 7: PROBIOENER – Acção Integrada para a promoção e implementação da eficiência energética e das energias renováveis, como factor de competitividade

    Parceiros do projecto
    Chefe de Fila: Instituto de Recursos Naturales y Agrobiología de Salamanca
    Sócio 1: NERBA AE
    Sócio 2: Diputación de Zamora
    Sócio 3: Instituto Politécnico de Bragança
    Sócio 4: Cámara municipal de Bragança

    Actividade 1:
    Criar uma infra estrutura para a difusão e promoção de projectos na zona transfronteiriça para a poupança energética e para a implementação das energias renováveis.

    Criar em Bragança, um local com equipamento e pessoal técnico que promova a vigilância tecnológica em Portugal e dirija as empresas para a participação no centro em Zamora.

    Actividade 2:
    Análise de oportunidades para melhorar a eficiência energética no tecido empresarial e Zamora e Alto Trás-os-Montes

    Analisar a gestão da energia nos diferentes processos produtivos das empresas de Bragança. O objectivo é detectar oportunidades de melhoria e estabelecer as melhores práticas, que tendo em conta o tipo de empresa, conduza a uma maior eficiência energética.

    A actividade contempla um plano entre 15 auditorias em ambos os lados da fronteira.

    Diagnóstico e auditoria energética dos processos produtivos tipo
    Relatório final da auditoria:

    Guia para a elaboração do Plano de acção de poupança de Energia
    15 diagnósticos energéticos - Bragança

    Actividade 3:
    Planeamento de um modelo de produção energética distribuída, utilizando recursos de biomassa autóctones, baseada em tecnologias de pequena escala
    Planificar instalações energéticas para a geração de energia eléctrica e térmica, a pequena e média escala, que permita o aproveitamento eficiente dos recursos naturais de biomassa (agrícolas e florestais) produzidos na zona transfronteiriça.

    Pretende-se avaliar a implementação de um modelo baseado na exploração de recursos autóctones, de ambos os lados da fronteira, mediante sistemas de produção ambientalmente sustentáveis e que promovam actividades rurais tradicionais.

    Actividade 4:
    Avaliação de culturas energéticas na zona transfronteiriça
    Realizar um estudo com o objectivo de avaliar a possibilidade de aproveitar terrenos não cultivados para a produção de culturas energéticas.

    O estudo contemplará, em primeiro lugar, a qualidade dos terrenos e um posterior ensaio com as espécies que se podem adaptar às características dos terrenos, de forma sustentável.

    Pretende-se impulsionar a produção em terrenos abandonadas mediante o fomento de novas culturas que permitam criar riqueza, mediante a venda de sementes para as empresas de transformação e produção de biocombustíveis, instaladas na zona transfronteiriça.

     

    Projecto 8: S.I.M. Sensibilizar Informar Mobilizar - Olhar para a Pobreza com olhos de ver

    No âmbito do Programa Nacional do Ano Europeu do Combate à Pobreza e à Exclusão Social 2010 (PNAECPES), o NERBA-AE integrou a parceria liderada pela Rede europeia Anti-pobreza – Portugal.

    Este projecto S.I.M. Sensibilizar Informar Mobilizar - Olhar para a Pobreza com olhos de ver procurou actuar em todos os concelhos do distrito da Plataforma supra concelhia de Alto Trás-os-Montes, procurando contribuir para a resolução dos problemas identificados no Diagnóstico Social de Alto Trás-os-Montes, nomeadamente a desertificação e o envelhecimento, a violência doméstica, o alcoolismo e a toxicodependência, o desemprego e o sub-desenvolvimento das potencialidades da região, através: activar a participação às pessoas em situação de pobreza, sensibilizar, informar e mobilizar instituições, empresas, a sociedade civil, na busca de soluções para os diversos problemas pessoais e assimetrias regionais, disseminar boas práticas e aumentar o conhecimento das temáticas a abordar para uma intervenção eficaz, eficiente e concertada.

    O NERBA-AE organizou 3 sessões de sensibilização e esclarecimento sob o tema Emprendedorismo e micro crédito – estratégias para contrariar a pobreza.

    Estas sessões contaram com a presença total 62 pessoas desempregadas, contando esta associação, com a colaboração da acção social dos concelhos de Alfândega da Fé, Mogadouro e Macedo de Cavaleiros, onde se realizaram as sessões.

     

    Projeto 9: IN.TE.GRAR@AGORA

    Parceria estabelecida com a Câmara Municipal de Macedo de Cavaleiros, no âmbito do Centro Local de Apoio à Integração de Imigrantes, do gabinete de apoio ao imigrante deste município e do Conselho Local de Acção Social de Macedo de Cavaleiros (CLASMC), para a concretização de uma segunda edição deste projecto IN.TE.GRAR@AGORA. Esta iniciativa visa a melhoria do processo de integração e o combate à exclusão social dos imigrantes e mostrar às comunidades de acolhimento os contributos que os imigrantes podem dar nas dinâmicas de desenvolvimento do distrito de Bragança, integrando assim, as autarquias dos concelhos de Bragança, Alfândega da Fé e Miranda do Douro e outras entidades, como esta associação empresarial.

    Esta associação participa mais activamente na actividade “Formação e Educação para a Participação e Cidadania para Imigrantes Adultos”. Pretende-se promover cursos de língua portuguesa e cursos de formação profissional e também informar os Imigrantes dos seus direitos e deveres, para prevenir situações de risco e/ou exclusão social. Foram elaborados e distribuídos panfletos referentes aos direitos e deveres dos imigrantes, em bilingue (português e russo).

    Na Actividade designada “Promover a Empregabilidade”, esta associação contribuiu com a construção de uma lista de contacto de empresas com o objectivo dar a conhecer à comunidade empresarial o Projecto, assim como o serviço de intermediação entre os empresários e os imigrantes, para a procura de emprego. De Julho a Outubro de 2011, 4 empresas já recorreram a este no apoio à procura de mão-de-obra.

     

    Projeto 10: Proxeto Parque

    O NERBA-AE, em parceria com a Câmara Municipal de Bragança, implementa o Proxeto Parque na Zona Industrial de Bragança – inicio em 2007 até 2009.

    O projecto Parque pretendeu concretizar plano piloto para dotar de novos serviços 6 parques industriais do norte de Portugal e da Galiza (euroregião), como pólos de atracção para novos investimentos empresariais, assim como, potenciar a melhora da competitividade das que já lá se encontram instaladas, proporcionando-lhes um suporte especializado no processo de transição tecnológica. Resultados: Documentos publicados com diagnósticos e plano de medidas de actuação: “Necessidades formativas a nível das tecnologias de informação e comunicação para as empresas dos polígonos industriais e Gestão Sustentável em parques industriais e polígonos industriais.

     

    Projeto 11: Sessão de Trabalho com Empresas do Alto Trás-os-Montes e Douro

    O IAPMEI - Instituto de Apoio às Pequenas e Médias Empresas e à Inovação, I.P. em parceria com o Nerba e a NERVIR, organizaram duas sessão de trabalho com as empresas do Alto Trás-os-Montes e Douro no âmbito da iniciativa Encontros para a Competitividade do IAPMEI.

    O objectivo desta iniciativa é criar um ambiente propício à discussão de ideias sobre estratégias empresariais, formas de cooperação e dinâmicas de inovação que representem oportunidades de crescimento para as PME portuguesas. As empresas que participarem nestas iniciativas, para além da oportunidade de discutirem entre si temas de interesse comum, podem ainda confrontar as suas ideias e visões de futuro com especialistas nos temas em debate, que participam nas mesmas como facilitadores.

    Estas sessões são orientadas em torno de um conjunto de sub-temas de trabalho dinamizados por uma personalidade que actuará como facilitador do debate no seio dos grupos de trabalho que vierem a ser constituídos.

    Participaram um total de 64 empresas.

     

    Projecto 12: PROBIOENER – Acção Integrada para a promoção e implementação da eficiência energética e das energias renováveis, como factor de competitividade

    No âmbito do POCTEP, tendo como chefe de fila o Instituto de Recursos Naturales y Agrobiologia de Salamanca – IRNASA, foi estabelecida uma parceria entre: NERBA-AE a Diputación de Zamora, o Instituto Politécnico de Bragança – IPB e a Câmara Municipal de Bragança

    O projecto visou a criação de estruturas de cooperação baseadas em acções de pesquisa e melhoria do modelo energético transfronteiriço como uma ferramenta de promoção da competitividade e do desenvolvimento rural sustentável na região transfronteiriça.

    As Actividades do NERBA-AE passaram por:

    • Análise de oportunidades para melhorar a eficiência energética no tecido empresarial de Alto Trás-os-Montes
    • Analisar a gestão da energia nos diferentes processos produtivos das empresas de Bragança. O objectivo é detectar oportunidades de melhoria e estabelecer as melhores práticas, que tendo em conta o tipo de empresa, conduza a uma maior eficiência energética.
    • A actividade contempla um plano entre 15 auditorias auditoria energética dos processos produtivos.

    Serão também, produzidos os seguintes resultados:
    1. Relatório final da auditoria:
    2. Manual de boas práticas energéticas
    3. Difusão dos resultados desta intervenção e, Zamora e Bragança

     

    Projeto 13: AgroAli@EU - http://www.agroali.ipb.pt/

    O Instituto Politécnico de Bragança - GPGQ - Apoio à Investigação, desenvolveu na região o projecto AgroAli@EU em parceria com o Nerba Associação Empresarial.

    O seu objectivo foi estimular e apoiar a participação de empresas do sector agro alimentar em consórcios internacionais de investigação e desenvolvimento tecnológico (I&DT).

    Neste sentido, foram realizadas as seguintes acções conjuntas:
    Workshop Nerba, "Inovação no Sector Agroalimentar: Oportunidades para as Empresas no 7.º Programa-Quadro de Investigação e Desenvolvimento Tecnológico da União Europeia".
    Workshop "Necessidades e Oportunidades no Sector Agroalimentar: o Papel do Sistema Científico e Tecnológico" mais ainda uma Mostra de produtos Sabores de origem transmontana (empresas associadas Nerba) (contamos com a presença de 250 investigadores que estiveram reunidos no 11.º Encontro de Química dos Alimentos (11EQA) no IPB) brokerage event "Necessidades, Oportunidades, Ideias e Interesses do Sector Agroalimentar Português: Instrumentos de Financiamento para Projetos de Investigação, Desenvolvimento e Inovação".

    Como resultado, foi possível promover a participação de 5 empresas da região e 1 associação em 11 candidaturas ao 7.º Programa Quadro de I&DT.

    O encerramento do projecto prevê-se que se realize me dezembro de 2013.

     

    Projeto 14: Estratégia de Eficiência Colectiva – EEC PROVERE

    O NERBA-AE integrou duas Estratégia de Eficiência Colectiva – EEC e programas de Acção centrada na Ideia PROVERE, que procuram promover a melhoria da competitividade territorial através da valorização económica de recursos endógenos e tendencialmente inimitáveis do território, contribuindo de forma decisiva para o reforço da sua base económica e para o aumento da atractividade desse território-alvo (fixação e renovação da população, valorização do património natural e cultural, geração de novas actividades com forte incorporação de conhecimento, densificação do tecido empresarial, etc.).

    O NERBA-AE participou, assim, nas seguintes EEC:

    1. PROVERE INOVARURAL, actuará na valorização económica dos recursos endógenos azeite/azeitona, esperando-se diferenciar os recursos identificados, através da inovação e do marketing, valorizar o sector produtivo da oliveira e promover o turismo associado ao olival e ao azeite e o empreendedorismo rural.

    Os eixos de intervenção e seus objectivos, foram:
    Eixo I – Diferenciação da Oliveira através da Inovação e Marketing
    Transformar Trás-os-Montes numa Marca;
    Fomentar a cultura da inovação e da criatividade aliada aos saberes tradicionais e ao Mundo Rural;
    Apostar no Marketing, Comercialização e Internacionalização dos produtos transmontanos.

    Eixo II - Valorização do sector produtivo da Oliveira
    Promover a e co-produção, apoiando a introdução de práticas ambientalmente correctas, seja ao nível dos próprios métodos agrícolas, como da gestão dos seus efluentes;
    Melhorar os sistemas produtivos apoiando se nas melhores técnicas disponíveis na reconversão dos olivais, produção de azeitona, azeite e derivados e os outros produtos transmontanos;
    Transferência do conhecimento das unidades de I&D para as empresas e povo transmontano em geral.

    Eixo III - Promoção do turismo da Oliveira e do Azeite
    Aumentar a qualificação dos agentes ligados ao turismo, através da formação de profissionais;
    Dinamizar a animação turística através de uma oferta baseada na oliveira;
    Proporcionar um aumento da oferta de alojamento turístico com qualidade.

    Eixo IV - Empreendedorismo Rural
    Criar um pólo centralizador das novas tecnologias que constitua um motor de desenvolvimento em rede para as áreas rurais, promovendo a instalação e criação de novas empresas na região ligadas à oliveira.

    2. PROVERE da Terra Fria Transmontana, que pretende a promoção o aumento da competitividade da Rota da Terra Fria Transmontana e o reforço da sua sustentabilidade através do desenvolvimento da oferta regional de ecoturismo e das práticas turísticas sustentáveis e da criação de cluster de “Indústrias Verdes” baseado em recursos energéticos, florestais e agrícolas sustentáveis.

    Objectivos estratégicos e operacionais:

    • Introdução de Novos Factores de Competitividade na Continuação do Projecto Rota Terra Fria Transmontana;
    • Introdução de factores de competitividade territorial destinados a valorizar os recursos endógenos da Terra Fria Transmontana;
    • Reposicionamento da Rota da Terra Fria Transmontana
    • Valorizar Produtos, Artes e Ofícios Tradicionais
    • Boas Práticas de Turismo Sustentável
    • “Cluster” regional de Indústrias Verdes
    • Criação de Pólo de Competências da Sustentabilidade

     

    Projeto 15: ACTION II - Acções de Cooperação Transfronteiriça para a Inovação e Oportunidades de Negócio II

    No âmbito do POCTEP, Eixo Prioritário Cooperação e gestão conjunta para o fomento da competitividade e a promoção do emprego, tendo como chefe de fila a Fundação Rei Afonso Henriques, foi estabelecida uma parceria entre:
    BENEFICIÁRIO 2 - CEC – Conselho Empresarial do Centro /CCIC – Câmara de Comércio e Indústria do Centro
    BENEFICIÁRIO 3 - ADE- Agencia de Inversiones y Servicios de Castilla y León
    BENEFICIÁRIO 4 - Associaçao ParkUbis Incubação
    BENEFICIÁRIO 5 - Fundación Parque Científico de la Universidad de Salamanca
    BENEFICIÁRIO 6 - Fundación Parque Científico de la Universidad de Valladolid
    BENEFICIÁRIO 7 - NERBA- Núcleo Empresarial da Região de Bragança, Associação Empresarial
    BENEFICIÁRIO 8 - NERVIR - Associação Empresarial
    BENEFICIÁRIO 9 - CITMAD, Centro de Inovação de Trás-os-Monte e Alto Douro

    Os objetivos do projeto passam por: promoção da cooperação transfronteiriça empresarial entre empresas dos clusters transporte/logística/distribuição, agro-indústria/alimentar, TICE – Tecnologias da Informação, Comunicação e Electrónica e Energias Alternativas, suas parceiras e entidades do sistema científico e tecnológico; afirmação das regiões como territórios da inovação.

    As ações implementadas pelo NERBA-AE foram as seguintes:

    Actividade 1 - Constituição da Rede de Cooperação

    Nesta actividade, o NERBA-AE em parceria com a NERVIR assegurou a realização do plano estratégico de cooperação empresarial para os sectores agroalimentar e logística/transporte, com abrangência de actuação nos dois distritos.

    Os resultados refletem a apresentação de modelos para a criação de redes de cooperação inter-empresarial e aumento da integração digital entre empresas oriundas dos clusters alvo e entre estas e empresas clientes, fornecedoras e parceiras; na cooperação universidade/empresa e na criação de uma rede de agentes de cooperação.

    As medidas e propostas de intervenção em torno das empresas estão direccionadas para a promoção da cooperação e da internacionalização, através de:
    1 - De propostas de incentivo à cooperação entre empresas dos setores participantes no projeto e das diferentes regiões da Espanha e de Portugal;
    2 - De propostas para apoiar o desenvolvimento de processos de internacionalização das empresas;
    3 - De propostas para melhorar a logística associada aos diferentes tipos de produtos;
    4 - De propostas para melhorar a visibilidade das empresas nas redes sociais e internet;

    De propostas para orientar as empresas nos diferentes tipos de processos de certificação empresarial.

    As dez empresas seleccionadas e que aceitaram participar no projecto foram alvo de um estudo de diagnóstico no sentido de detectar as suas principais necessidades e motivações, a partir das quais se desenharam as orientações e objectivos a alcançar, no âmbito do trabalho a realizar.

    Para o efeito foi elaborado um modelo de diagnóstico que inclui 4 secções, organizadas de acordo com a seguinte estrutura:
    1. Caracterização da Empresa: com o objectivo de se proceder ao registo da identificação da empresa, o seu historial e inventário do portefólio de produtos.
    2. Diagnóstico Empresarial: cujo objectivo foi proceder à identificação e registo de aspectos relacionados com os recursos humanos e logísticos, mercados, processo produtivo, internacionalização, cooperação e inovação e finanças.
    3. Avaliação da empresa: tendo por base as constatações registadas nos relatórios de diagnóstico empresarial, o trabalho prosseguiu com a elaboração de balanço geral e uma análise SWOT, onde foram enunciados os pontos fortes e fracos, bem como as oportunidades e ameaças para cada uma das empresas participantes. No final do relatório individual de diagnóstico empresarial encontram-se transcritos as principais necessidades, motivações, objectivos identificados para cada uma das empresas, que deverão passar a integrar o plano de acção global do projecto.

    Os resultados obtidos no contexto da elaboração dos relatórios individuais foram, assim que concluídos, enviados a cada uma das empresas, com o intuito de aceitação e validação por parte dos seus representantes, no que se refere as constatações e aos objectivos a atingir.

    Atividade 4 – Criação de Plataforma Conjuntas de Comercialização

    A plataforma - http://agronet.pt/ - criada integra um backoffice e um frontoffice que permite às entidades efectuarem a “alimentação” da plataforma com a informação adequada, e às empresas o acesso a essa informação de forma clara e objetiva.

    A plataforma assegura, ainda, e implantação de uma comunidade de produtores que gerem e disponibilizam individualmente os seus produtos para potenciais clientes via WEB. DO ponto de vista do utilizador cliente, os produtos deverão ser agrupados por categorias, seguido do produtor, de forma a permitir a aquisição focada para cada produtor.

    O cliente irá ter à sua disposição um mecanismo de carrinho de comprar para associar produtos do mesmo produtor com resumos de custos dos produtos em causa.

    Quando satisfeito, o cliente poderá ativar o processo de compra, materializado no envio de email para o produtor.

     

    Projeto 16: COOPETIR

    Foi estabelecida uma parceira entre Nerba Associação Empresarial do Distrito de Bragança, Nerga – Associação Empresarial da Guarda, Nervir - Associação Empresarial de Vila Real e AEBB - Associação Empresarial da Beira Baixa para concretização de dois projectos no âmbito do SIAC.

    Os dois projectos que a seguir se identificam integram um conjunto de actividades todas dirigidas à promoção da melhoria da competitividade dos sectores da actividade económica mais relevantes, nomeadamente a agro-indústria, a indústria extractiva, o turismo e o termalismo e a energia, no espaço geográfico composto pelos Distritos de Vila Real, Bragança, Guarda e Castelo Branco, disponibilizando às empresas informação e meios instrumentais de resposta a problemas que lhes são comuns

    1. COOPETIR - Uma nova polaridade económica e social no interior
    Enquadramento Territorial e Sectorial
    Concepção de Modelos de Cooperação Inter-empresarial
    Dinamização de Redes de Cooperação
    Disseminação da Metodologia de Dinamização de Redes de Cooperação
    Concepção de imagem e produção de meios de promoção
    Acções de promoção do espaço regional e dos seus produtos junto de mercados com elevado potencial
    Presença institucional em Feiras e Eventos no Exterior
    Convite para a visita à região de prescritores estrangeiros

    2. COOPETIR - A Caminho de uma nova economia para o interior
    Observatório empresarial
    Novas TIC de apoio às empresas
    Edição de publicações periódicas informativas
    Seminários técnicos de informação
    Informação especializada às empresas
    Participação em actividades de organizações internacionais

     

    Projeto 17: Terras Altas de Portugal

    O Projeto “TERRAS ALTAS DE PORTUGAL”, parceria NERBA - Associação Empresarial do Distrito de Bragança (chefe de fila), NERVIR - Associação Empresarial de Vila Real, NERGA - Núcleo Empresarial Da Região Da Guarda e AEBB - Associação Empresarial da Beira Baixa, foi desenvolvido em torno do domínio de intervenção “Internacionalização, conhecimento e acesso a mercados e valorização da oferta nacional”, assim, dentro dos objetivos do SIAC (Sistemas de Incentivo às Acções Colectivas), visa a melhoria da competitividade do país e das suas regiões de convergência, com particular enfoque nas regiões do Norte (Bragança e Vila Real) e Centro (Guarda e Castelo Branco), através do desenvolvimento estratégico “Partir do local para o Global”.

    Segue a identificação e respetiva descrição das atividades do projeto
    3. Agregação, Tipificação e Diferenciação dos Produtos Típicos através da Marca Chapéu Terras Altas de Portugal e o Levantamento das principais dificuldades na colocação de Produtos Típicos de Regiões baixa Densidade em Mercados Internacionais

    Este estudo tem por objetivo principal estabelecer e estruturar o conceito de valor da oferta das Regiões Terras Altas que seja capaz de demonstrar as capacidades do tecido empresarial identificadas e evidenciadas no Projeto COOPETIR. Assim o estudo será dividido em cinco grandes blocos.
    - O primeiro será definir um conceito agregador que permita enquadrar as linhas de grupos de Produtos que as várias Regiões produzem. Com base no conceito desenvolvido será necessário identificar e catalogar os produtos, a sua importância para a Região, e os fatores de identidade (como é produzido, questões tradicionais, culturais e sociais).
    - Identificação do conceito agregador dos Grupos de Produtos
    - Catalogar Produtos
    - Histórico dos Produto (Tradição, Cultura e Social)

    A segunda etapa passa por qualificar as variáveis de maior notoriedade dos produtos que são reconhecidos por mais mercados, assim este trabalho será crítico na sustentação dos valores a promover durante o projeto.
    - Identificação das Variáveis de notoriedade dos Produtos
    - Estruturar e Tipificar Valores reconhecidos dos Produtos por Regiões

    Partindo-se dos resultados das fases anteriores, o momento pretende identificar as características diferenciadoras dos produtos Terras Altas por forma a potenciar a aceitação dos mesmos nos Mercados Alvo.
    - Identificação das Características Diferenciadoras dos Produtos
    - Identificação das Características reconhecidas pelos Mercados Alvo
    - Estruturação das Características Potenciadoras da Aceitação dos Produtos nos Mercados Alvo

    Esta fase é importante como input das atividades seguintes, uma vez que servirá como documento de sistematização e validação dos princípios orientadores, boas práticas de produção e comercialização de produtos distintivos das regiões.

    Depois de estruturados os requisitos e a Oferta das Terras Altas, importa abordar as potenciais dificuldades pelo tecido empresarial das Regiões envolvidas na abordagem aos Mercados Internacionais. Pretende-se também avaliar quais os principais constrangimentos das micro e pequenas empresas podem apresentar, para cumprir com os requisitos de participação na iniciativa, dado a estrutura simplificada das organizações e falta de recursos humanos, técnicos e físicos.

    - Identificação dos Principais Constrangimentos na Abordagem a Mercados Internacionais
    - Identificação de possíveis Abordagens facilitadoras a Mercados Internacionais
    Interessará por último, a identificação das principais barreiras aos Mercados Internacionais e como as vencer. Procurar-se-á estabelecer quais as metodologias de relacionamento com os Mercados que devem ser tidas em conta com vista a facilitar a colocação dos Produtos Terras Altas nos Mercados de Grande Escala Internacionais.
    - Identificação de possíveis Abordagens facilitadoras a Mercados Internacionais
    - Adaptação das Abordagens identificadas à realidade do tecido empresarial das Regiões de Bragança, Vila Real, Guarda e Castelo Branco.

    4. Criação do conceito e valores associados à Marca Chapéu TERRAS ALTAS de PORTUGAL

    Este projeto dá continuidade ao projeto COOPETIR e ao trabalho então desenvolvido. Uma das principais conclusões desse trabalho foi o interesse, reconhecido, de desenvolver uma Marca Chapéu TERRAS ALTAS de PORTUGAL. Para tal é essencial desenvolver uma ferramenta que permita comunicar os valores dos produtos das regiões envolvidas. Esta Marca Chapéu irá defender valores intrínsecos das Regiões, dos seus produtos e das formas como estes se relacionam em termos de tradições culturais.

    Esta identidade deverá permitir a Diferenciação de qualquer possível concorrência no Mercado Nacional e mesmo Internacional.
    - Identificação dos Valores Intrínseco da Marca Chapéu devidos as Regiões Associadas ao Projeto
    - Identificação dos Valores Intrínsecos da Marca Chapéu na forma como são Produzidos os Produtos
    - Identificação dos Valores Intrínsecos da Marca Chapéu na obtenção das Matérias-primas usadas nos Produtos
    - Identificação dos Valores Intrínsecos da Marca Chapéu em termos Culturais

    5. Portal de Partilha e Negócios da iniciativa TERRAS ALTAS de PORTUGAL

    6. Criação do Conceito High BOX dos produtos Típicos Regionais

    Produtos Promo são a forma principal para obter reconhecimento no exterior e convidar os potenciais prescritores a disfrutar dos nossos produtos. Produtos Promo também são uma forma eficaz para apresentar em eventos e reuniões devido à facilidade de transporte e baixo custo de produção pela quantidade.

    Assim o projeto irá desenvolver um conceito tipo SMART BOX, constituída por uma amostra de Produtos e informação das Regiões. No desenvolvimento da SMART BOX irá ter-se em consideração os Produtos bem como os valores que o Projeto pretende promover.

    Este meio de promoção será desenvolvido desde logo por forma a permitir o seu uso nas diversas ações que integram o projeto.

    O seu desenvolvimento integra as seguintes componentes:
    - Trabalhos de conceção SMART BOX
    - Trabalhos de edição gráfica
    - Produção das SMART BOX

    7. Ações de promoção e projeção da Marca Chapéu TERRAS ALTAS de PORTUGAL a nível Nacional

    Será desenvolvida uma estratégia de abordagem ao Mercado Nacional, com o objetivo principal de dar DIMENSÃO e VISIBILIDADE à Marca Chapéu TERRAS ALTAS de PORTUGAL, através da presença em eventos com reconhecido valor estratégico. Esta abordagem do local para o global deve-se ao elevado conhecimento que o Mercado Nacional tem dos Produtos das Regiões em questão, a abordagem será através da promoção dos Valores Associados a estas Regiões nos vários Domínios (Setor Turismo, Agro Industrial, etc.).

    Serão realizadas seis ações de promoção, em mercados nacionais de reconhecida importância (Lisboa, Algarve, Porto) ao longo dos dois anos de desenvolvimento do projeto.

    Para a sua concretização serão contratados serviços de apoio logístico especializado que assegurem as seguintes dimensões:
    - Aluguer de Espaço
    - Orador Convidado (Figura Publica e reconhecida das regiões em questão)
    - KIT a Distribuir nos eventos composto por material de merchandising e material informativo das regiões, Produtos e do próprio Projeto - Material de Promoção no local, Banner”s e StandUps

    8. Criação de uma estrutura de apoio na Internacionalização para as Regiões de Bragança, Vila Real, Guarda e Castelo Branco

    Devido à dimensão do tecido empresarial das Regiões do Interior Norte e Centro, é necessário criar uma estrutura adequada à realidade das empresas para poderem abordar novos Mercados. Assim o objetivo desta atividade é criar uma estrutura de apoio nas quatro Regiões, trabalhando e partilhando os recursos disponíveis, alguns criados já no Projeto COOPETIR. Neste projeto resultou em algumas metodologias apropriadas a estas Regiões, assim o passo seguinte será materializar uma Estrutura Conjunta de Apoio à Internacionalização das Empresas nas quatro Regiões.

    Sendo que as entidades parceiras possuem recursos técnicos com capacidade de prestar este apoio efetivo às empresas, pretende-se que possam ser, numa primeira fase, assessorados por consultores com reconhecida experiência prática nas temáticas relevantes e que contribuam para o reforço das competências da equipa técnica.

    Os resultados do desenvolvimento da Atividade 1 serão determinantes para a identificação das principais lacunas das empresas a este nível, devendo a equipa técnica ter capacidade objetiva de intervir nesta área.

    9. Visita às Terras Altas de Portugal das Principais Figuras de Renome a nível Europeu na Área dos Produtos Típicos Regionais

    10. Levantamento dos principais canais de distribuição nos Mercados do Luxemburgo, Moçambique e Canadá

    Pretende-se identificar e avaliar nos mercados alvo identificados os canais de distribuição e os principais prescritores nos mesmos.

    O principal objetivo desta atividade será a caracterização das necessidades dos países de destino, definindo uma procura potencial. Esta caracterização, será vital para alinhar a estratégia de reposicionamento das Regiões e Produtos. Obviamente que está inerente uma aproximação aos mercados, mas sobretudo uma orientação estratégica de posicionamento da Marca Chapéu mais ampla e mais eficiente.

    Só sabendo, como se distribui e o que se distribui nos diferentes mercados é que podemos estruturar a oferta das empresas portuguesas. Este trabalho de “matching” só é possível com informação rigorosa, detalha e atualizada que aqui se pretende recolher.

    11. Identificar e caraterizar os canais de distribuição e os principais prescritores nos mercados, divididos da seguinte forma:
    - Identificação dos canais de distribuição nos mercados alvos
    - Caraterização dos canais de distribuição
    - Identificação dos principais prescritores nos mercados alvos
    - Caraterização dos principais prescritores
    - Retrato competitivo dos canais de distribuição
    - Estruturação, validação e organização das pesquisas e análises efetuadas

    12. Ações de Divulgação dos Produtos, das Regiões e Marca Chapéu em eventos nos Mercados Alvo

    Esta atividade é uma forma de dar continuidade à intervenção junto dos mercados alvo e vem na sequência das ações anteriores. Assim com a presença nos mercados alvo referidos pretende-se um reforço da Marca Chapéu, dos Produtos e Regiões. Pretende-se agir junto dos principais Canais de Distribuição identificados através de eventos organizados e planeados nesses Mercados ou através de contacto direto junto dos prescritores nesses mesmo Mercados.

    Em cada mercado será realizada uma ação de promoção dirigida quer a distribuidores e prescritores, que a outros públicos selecionados, assegurando o reforço de todas as ações anteriores e uma presença efetiva dos produtos e da imagem do projeto nesses locais.

    13. Criação e Animação de uma Rede no Luxemburgo, Moçambique e Canadá para escoamento de Produtos Típicos das Regiões de Bragança, Vila Real, Guarda e Castelo Branco

    Esta atividade tem por objetivo principal criar ligação efetiva a canais de distribuição nos Mercados Alvo para promover a Marca Chapéu e potenciar a entrada dos Produtos nesses mesmos Mercados. Assim será feita a Listagem dos Potenciais Parceiros, a sua caracterização, uma pré-seleção com base nos objetivos estabelecidos, o primeiro contacto e a respetiva avaliação do seu potencial.

    - Listagem dos Potenciais Parceiros nos três Mercados Alvo
    - Caracterização dos Potenciais Parceiros nos três Mercados Alvo
    - Pré-seleção dos Potenciais Parceiros nos três Mercados Alvo
    - Primeiro contacto com os Potenciais Parceiros nos três Mercados Alvo
    - Avaliação do contributo dos Potenciais Parceiros nos três Mercados Alvo

    14. Formalização com Convite aos Parceiros Internacionais de uma Rede no Luxemburgo, Moçambique e Canadá para escoamento de Produtos Típicos das Regiões

    Após a conclusão da atividade irá se proceder a formalização das Parcerias Internacionais através da celebração de protocolos entre o NERBA, NERVIR, NERGA e AEBB e os Parceiros de cada um dos três Mercados.

    De entre os principais e potenciais parceiros destacam-se as Casas de Trás-os-Montes e das Beiras, outras organizações de emigrantes, Associações Comerciais e Industriais locais ou outras que possam revelar particular interesse.

    Por forma a potenciar as Parcerias, os protocolos serão assinados em solo Nacional, aproveitando as Regiões como montras potenciadoras de negócios. Será enviado um convite a duas entidades de cada Mercado para a celebração dos Protocolos de Parceria.

    O orçamento desta atividade tem a seguinte estrutura de custos:
    - Parceiros Luxemburgo, 2 viagens
    - Parceiros Moçambique, 2 viagens
    - Parceiros Canadá, 2 viagens
    - Estadias para 6 pessoas durante um período de 5 dias
    - Redação dos Protocolos
    - Preparação e planeamento da receção dos convidados
    - Preparação de conteúdos

     

    Projeto 18: Saiba como aproveitar as oportunidades do PORTUGAL 2020

    O NERBA-AE no cumprimento da sua vocação na prestação de informação aos seus associados e toda a comunidade empresarial do distrito de Bragança estabeleceu uma parceria com as Câmaras Municipais e associações comerciais, industriais e de serviços do distrito para co-organizar a sessão informativa Saiba como aproveitar as oportunidades do PORTUGAL 2020, com o objetivo de apresentar aos investidores, as oportunidades, desafios assim como esclarecer eventuais dúvidas do Programa de financiamentos do Portugal 2020. O público a que se destina esta sessão é empresários, gestores e dirigentes e empreendedores.

    O programa das sessões é o seguinte:

    PDR 2020 – Investimentos agrícolas na Região
    Direcção Regional de Agricultura e Pescas do Norte

    Apresentação dos Sistemas de Incentivos às Empresas, no âmbito do Portugal 2020 Tipologias de investimento: Inovação Empresarial e Empreendedorismo Qualificação e Internacionalização das PME Investigação e Desenvolvimento Tecnológico
    IAPMEI

    Apresentação de Medidas de Apoio ao Emprego - Estímulo Emprego e Estágio Emprego
    IEFP

    Apresentação do Projeto Internacionalização das Terras Altas de Portugal 2015/16
    NERBA-AE

    Apresentação do Projeto INOVA PME, projecto de melhoria empresarial
    NERBA-AE

    O Plano de datas é o seguinte:

    Datas Local
    09-07-2015 Vimioso
    Miranda do Douro
    16-07-2015 Macedo de Cavaleiros
    10-09-2015 Alfândega da Fé
    Mogadouro
    17-09-2015 Vila Flor
    Carrazeda de Ansiães
    24-09-2015 Freixo de Espada à Cinta
    Torre de Moncorvo
    30-09-2015 Vinhais
    Mirandela

     

    Projetos conjuntos, Programa Operacional Competitividade e Internacionalização

    Na sequência da candidatura apresentada ao Programa Operacional Competitividade e Internacionalização apoiada pelo FEDER, nos termos do Aviso de concurso n.º 02/SI/201, o NERBA-AE tem aprovado dois projetos conjuntos, conforme a seguir se apresenta:

    Projeto conjunto Qualificação - Inova PME – Projeto Melhoria Empresarial

    Tipo de intervenção Designação da ação Tipo de atividade de inovação N.º de Empresas
    Qualidade Consultoria para Implementação e Certificação pela norma NP EN IS0 9001 Inovação Organizacional 5
    Eco-inovação Consultoria para Implementação e Certificação pela Norma ISO 14001 Inovação Organizacional 1
    Qualidade Consultoria para Implementação e Certificação da norma ISO 22000 Inovação Organizacional 4
    Inovação organizacional e gestão Consultoria em gestão Estratégica e Reengenharia de Processos Inovação Organizacional 2
    Economia digital e tecnologias de informação e comunicação
    Marketing digital Inovação de marketing 10
    Economia digital e tecnologias de informação e comunicação
    Software de gestão
    Inovação Organizacional 10
    Economia digital e tecnologias de informação e comunicação
    Equipamentos informáticos Inovação Organizacional 10
    Qualidade Medições e ensaios/calibrações Inovação Organizacional 10
    Economia digital e tecnologias de informação e comunicação
    Portal e PME Inovação de marketing 10
    Inovação organizacional e gestão Ferramenta de Benchmarkeing Inovação Organizacional 10

    Projeto conjunto Internacionalização – Terras Altas de Portugal

    O plano é composto por 5 ações de Roadshow nos mercados alvo selecionados, uma missão inversa e investimentos na reformulação e melhoria das ferramentas de comunicação e promoção digital das empresas.

    A iniciativa mantém coerência com os que são os mercados prioritários para o AICEP incluindo os PALOPS Africanos, em particular Angola, Moçambique e Cabo Verde. Um segundo bloco de países foram os de Norte de África, em particular Marrocos que também poderá ter um papel de pivot para os restantes países do Norte de África e África Subsariana, que representam um mercado potencial de 100 milhões de consumidores. O terceiro bloco foi o que se relaciona diretamente com a diáspora nacional, tendo a escolha recaído sobre o mercado francês, pela sua dimensão potencial e ligação ao território.

    O projeto está assente na promoção e contacto com os mercados através de eventos constituídos por workshop, exposição produtos/serviços, reuniões bilaterais e ainda a possibilidade de visita a empresas locais. Este contacto será reforçado pelas missões inversas que irão permitir uma visão e experiência enriquecida pelo território e valores associados à região em causa, Bragança.

    As PME que irão participar no projeto tem um conjunto de dificuldades, identificadas anteriormente, transversais devido a dimensão e localização geográfica, estas dificuldades apenas poderão ser ultrapassadas pelo ganhar dimensão, isto apenas é possível pela definição de um plano conjunto de abordagem aos mercados internacionais.

    O plano está pensado em atividades de promoção:

    • Roadshow Marrocos 2015
    • Roadshow Marrocos 2016
    • Roadshow Moçambique 2016
    • Roadshow Cabo Verde 2016
    • Roadshow França 2016
    • Missão Inversa 2015
    • Missão Inversa 2016
    • Atividades de Preparação das Empresas para abordar novos mercados externos.
    • Atividades de Acompanhamento do projeto, avaliação dos resultados, benchmarking e disseminação.

    Em cada uma das ações de promoção apresentadas, tem como objetivo a participação de 5 empresas. (total de 25 empresas)

    Em cada uma das ações de promoção apresentadas, tem como objetivo que cada empresa identifique 10 empresas locais para serem convidadas a estar presentes no evento organizado. (total de 250 empresas locais)

    Em cada uma das ações de promoção, tem como objetivo a realização de 3 encomendas feitas por empresas locais.

     

    Fórum Económico debate futuro de Trás-os-Montes

    Com o intuito de refletir sobre as melhores condições para o crescimento económico e a criação de emprego na Região, garantindo a convergência com o País, alinhado o esforço e iniciativa das empresas com a estratégia “Portugal 2020”, a Estratégia Regional de Especialização Inteligente”, o Plano de Desenvolvimento Rural e as Orientações para a Cooperação Territorial e Transfronteiriça, o NERBA-AE realiza o Fórum Económico debate futuro de Trás-os-Montes, em Bragança no dia 30-05-2014, integrada na 3.ª edição da Expo Trás-os-Montes.

    Trás-os-Montes é uma das Regiões mais pobres da Europa, a NUTIII da Região Norte com mais baixo PIB per capita. Necessita melhorar a organização e desempenho das suas Instituições, concentrar-se intensamente numa trajetória de crescimento económico e de criação de emprego, utilizando de forma eficaz os recursos próprios e as ajudas da União Europeia, através dos fundos estruturais para o desenvolvimento e a correção das assimetrias.

    Tem que dominar o conjunto de instrumentos de política pública previstos no País para o crescimento e o emprego, os vários programas que importam à Região, os instrumentos de execução da programação, e a estratégia europeia para o crescimento inteligente, sustentável e inclusivo.

    Constituir um espaço aberto à participação de todos os Cidadãos, especialmente dos Empresários, Gestores e respectivos Dirigentes Associativos que querem ter uma palavra a dizer no Futuro de Trás-os-Montes. Se a capacidade reivindicativa da região foi posta à prova com investimentos públicos que se arrastavam ao longo de décadas, é hora de tomar o pulso à capacidade do tecido empresarial para aproveitar as novas infra-estruturas e equipamentos, como o Brigantia Ecopark – Parque de Ciência e Tecnologia. Satisfeitas algumas das necessidades ao nível rodoviário, as atenções voltam-se para a coesão territorial, a partir da ligação Bragança-Vinhais-Chaves e Outeiro-Vimioso, e para a Cooperação Transfronteiriça, que só poderá ser reforçada com a ligação Quintanilha-Zamora e Bragança-Puebla de Sanábria-Léon. E se as estradas têm um papel fundamental no desenvolvimento, não é possível dissociá-las de outras infra-estruturas e de outras plataformas, como é o caso da evolução do Aeródromo Municipal de Bragança para Aeroporto Regional e da construção da Linha de Alta Velocidade em Puebla de Sanábria e Zamora. O Emprego, peça fundamental na fixação da população, também não será esquecido no Fórum Económico de Trás-os-Montes, dada a necessidade de criar estratégias que combatam o êxodo dos jovens qualificados para outras paragens. Por outro lado, o próximo Quadro Comunitário de Apoio lança novas pistas para aumentar a Competitividade e a Inovação, ao mesmo tempo que incentiva a Internacionalização das Empresas e cria as bases para apostar no Marketing Territorial. Estes são outros dos factores-chave que serão pensados e debatidos no Fórum e que constituem algumas das bandeiras deste momento alto da Expo Trás-os-Montes, que pretende ser um olhar sobre a Força de uma Região

    O promotor deste Fórum é Nerba Associação Empresarial do Distrito de Bragança em co-promoção com as 12 associações comerciais, industriais e de serviços do distrito. Esta organização foi coadjuvado por uma Comissão organizadora, constituída por:

    • Nerba Associação Empresarial do Distrito de Bragança
    • IPB – Instituto Politécnico de Bragança
    • Professor Francisco Cepeda/Economista/investigador
    • EAPN Portugal/Núcleo Distrital de Bragança
    • Associação Comercial e Industrial de Mirandela e Rota do Azeite de Trás-os-Montes
    • Agrupamento Europeu de Cooperação Territorial – ZASNET, AECT
    • Comunidade Intermunicipal de Terras de Trás-os-Montes
    • Novavet - Produtos Agro-Pecuários, Lda

    Foram parceiras do Fórum:

    • AICEP - aicep Portugal Global, E.P.E., Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal, Diretor das PME
    • Brigantia-EcoPark, Parque de Ciência e Tecnologia de Trás-Os-Montes e Alto Douro
    • Câmara Municipal de Vimioso
    • CCDRN - Comissão De Coordenação E Desenvolvimento Regional Do Norte
    • CEL – Círculo Empresarial Leonés
    • Coordenadora da Área de Apoio a Empresas da ADRAL
    • Escola Superior Agrária do Instituto Politécnico de Bragança
    • Essentia - Desenvolvimento e gestão de projectos
    • Factoryplay, lda
    • Faurecia
    • FRAH – Fundação Rei Afonso Henriques
    • Mais Ervas - Aromáticas e Medicinais
    • Serviços de Controlo e Estatística - DRAPN - Direcção Regional de Agricultura e Pescas do Norte

     

    Encontro Ibérico de Cooperação Empresarial

    No âmbito da 4.ª Edição da Expo Trás-os-Montes, o NERBA-AE realizou duas actividades que pretendem criar condições para o lançamento de novas formas de colaboração entre os vários atores regionais, nacionais e internacionais, no sentido de valorizar o território e os seus produtos endógenos de excelência.

    As acções desenvolvidas - Encontro Ibérico de Cooperação Empresarial e o Encontro Empresarial da Diáspora Transmontana - pretendem promover a cooperação e potenciar a internacionalização em parceria com os empresários da Diáspora transmontana e ainda, dar relevo às oportunidades que os mercados de Castela e Leão e de Trás-os-Montes oferecem às empresas dos dois lados da fronteira.

    Em relação ao Encontro Ibérico de Cooperação Empresarial, definiu-se como objectivos:

    • Proporcionar o conhecimento dos mercados de ambos os lados da fronteira, procurando colmatar uma das conclusões do encontro realizado em 2011 “desconhecimento mútuo dos mercados vizinhos”.
    • Conhecer as oportunidades que os mercados de Castilla Y León e de Trás-os-Montes oferecem às empresas dos dois lados da fronteira.
    • Avançar com a rede de cooperação transfronteiriça.
    • Aumentar as trocas comerciais transfronteiriças.

    O Encontro Ibérico de Cooperação Empresarial pretende promover a internacionalização dos produtos e serviços da região através da cooperação cooperação transfronteiriça, a partilha de modelos de negócios com empresários das regiões de Castilla Y León e de Trás-os-Montes e o aprofundar do conhecimento conhecimentos das oportunidades e as realidades empresariais das regiões de Castilla Y León e de Trás-os-Montes, contribuindo para o progresso económico e social da região.

    Para a concretização deste encontro, foram estabelecidas parcerias com:

    • ADE Junta de Castilla Y León
    • Cámara Oficial de Comercio, Industria y Servicios de Zamora
    • CEOE*CEPYME Zamora
    • Círculo Empresarial Leonés
    • FRAH - Fundação Rei D. Afonso Henriques
    • Índice ICT & Management
    • IPB – Instituto Politécnico de Bragança, Escola Superior Agrária /TRADEIT

     

    Encontro Empresarial da Diáspora Transmontana

    O Encontro Empresarial da Diáspora Transmontana pretende promover a internacionalização dos produtos e serviços da região através da cooperação com a Diáspora Trasmontana, a partilha de modelos de negócios e o aprofundar do conhecimento do território e a identidade do mesmo junto da comunidade empresarial da Diáspora transmontana, contribuindo para o progresso económico e social da região.

    As parcerias estabelecidas para a sua realização foram:

    • CIM TM - Comunidade Intermunicipal das Terras de Trás-os-Montes
    • IPB – Instituto Politécnico de Bragança
    • Casa Regional dos Transmontanos e Alto-Durienses do Porto
    • Casa de Trás-os-Montes e Alto Douro

     

    Carta de Compromisso para o Desenvolvimento de Trás-os-Montes e Alto Douro

    No dia 12 de Julho 2014 decorreu a cerimónia de assinatura da Carta de Compromisso para o Desenvolvimento de Trás-os-Montes e Alto Douro, que contou com a presença do Primeiro-Ministro, Pedro Passos Coelho, que considerou este exemplo como “inspirador de respostas” para “outras partes do nosso território”.

    O objectivo desta parceira passa por desenvolver um programa integrado e transversal de desenvolvimento de Trás-os-Montes e Alto Douro, que responda aos desafios comuns às três Comunidades Intermunicipais e que permita construir um território assente numa visão partilhada e numa governação integrada, diferenciando o território pela qualificação das suas pessoas e pela qualidade de vida dos seus cidadãos e dos seus produtos e serviços.

    Os signatários da Carta de Compromisso projetam para o horizonte temporal 2020 a seguinte visão para Trás-os-Montes e Alto Douro:
    Uma região feita de territórios diversos e singulares, com uma forte matriz identitária, que se articulam e complementam, que assenta a sua afirmação, atratividade, competitividade e coesão económica e social na qualidade de vida diferenciada e na valorização criativa dos seus produtos endógenos e ofertas turísticas, bem como na identificação e desenvolvimento de novas atividades susceptíveis de consolidar e expandir empresas já existentes, por via da inovação, pelo acolhimento de start ups e pela atracção de investimento externo.

    Os Signatário do compromisso são:
    Associação Empresarial do Alto Tâmega (ACISAT)
    Associação Empresarial do Distrito de Bragança (NERBA)
    Associação Empresarial do Distrito de Vila Real (NERVIR)
    Comunidade Intermunicipal de Trás-os-Montes (CIMTTM)
    Comunidade Intermunicipal do Alto Tâmega (CIMAT)
    Comunidade Intermunicipal do Douro (CIMD)
    Instituto Politécnico de Bragança (IPB)
    Instituto Politécnico de Viseu/Escola Superior de Tecnologia e Gestão de Lamego (IPV/ESTIGL)
    Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro (UTAD)

    O programa de ação consignado neste compromisso implica:

    • Valorizar os sectores tradicionais da economia (produtos regionais de qualidade, vinho, energias renováveis, termalismo, turismo, etc).
    • Identificar clusters agrícolas, agroindustriais e industriais susceptíveis de consolidar e expandir empresas já existentes, por via da inovação, acolher novas start ups e atrair novo investimento externo (por exemplo; sector automóvel, rochas ornamentais com ligação aos novos materiais/eco-construção, extração, refinação e valorização de produtos de elevado valor a partir de recursos naturais e florestais, fabricação de produtos diversos, etc.).
    • Valorizar a posição de liderança da região no setor das energias renováveis e eficiência energética criando e sedimentando capacidades de I&D nesta área.
    • Promover a conectividade interna, articulando sectores e actividade, assim como, a conectividade internacional, dinamizando e fortalecendo as dinâmicas de internacionalização.
    • Alavancar o sistema de instituições do ensino superior e de investigação existentes na região, enquanto instrumento de atracção de estudantes estrangeiros, de sustentação de uma importante actividade de investigação e desenvolvimento, de formação contínua de ativos em ligação com as empresas e de geração de inovação traduzível em geração de riqueza e de emprego.
    • Potenciar a excelência do ambiente urbano, valores ambientais rurais, qualidade e baixo custo de vida, como activos diferenciadores na atracção de investimento e emprego qualidade.
    • Valorizar a singularidade regional em matéria de inserção nos espaços ibérico e europeu, muito em particular a proximidade e as relações com Galiza e Castilla Y León.

    Neste âmbito, realizou-se dia 19 de junho de 2015 o Fórum para o Desenvolvimento de Trás-os-Montes e Alto Douro, com o objetivo de alargar a reflexão a toda a região e construir um compromisso, tão forte e participado quanto possível, acerca das escolhas coletivas para o futuro da região.

    O fórum organizou-se em três grandes temas: identidade e desenvolvimento territorial; formação, inovação e empreendedorismo e competitividade e internacionalização.

    Novo Rumo a Norte

    O NERBA-AE faz parte da rede colaborativa dinamizada pela AEP - Associação Empresarial de Portugal, Câmara de Comércio e Indústria. O propósito é construir uma rede colaborativa com outras 40 associações em prol da competitividade das PME da região e da coesão territorial. Assim surge o “Novo Rumo a Norte”, para apoiar 10 mil empresas de 86 concelhos.

    A iniciativa vai ser objeto de uma candidatura a cofinanciamento público, através do programa operacional regional, e aproveitará recursos instalados no sector associativo e a experiência da AEP na gestão de redes colaborativas.

    Com o “Novo Rumo a Norte” pretende-se dar corpo a uma ação coletiva de capacitação das associações empresariais de base local e regional, aproveitando sinergias e maximizando recursos, para disponibilizar a 10 mil PME nortenhas, de 86 concelhos, a informação e o apoio técnico que lhes permita enquadrar o respetivo plano de investimentos nos diferentes instrumentos públicos de apoio ao seu alcance, quer à escala regional quer à nacional e, até, europeia – o novo programa operacional regional, o Portugal 2020 e o Horizonte 2020 são disso exemplos.

  • Actividades do NERBA-AE - Feiras e Exposições Open or Close

    Esta actividade teve início em 1993, com a inauguração do CEB – Centro Empresarial do Distrito de Bragança, com o objectivo de proporcionar aos fabricantes, produtores e outras entidades regionais, nacionais e estrangeiras a oportunidade de promoverem o intercâmbio tecnológico e promover a concretização de trocas comerciais.

    O CEB é constituído pelas seguintes áreas, disponíveis para serem requisitadas e utilizadas:

    1. Auditório (com 234 Lugares, sistema de som, projecção e climatização)
    2. Zona Multi serviços (Área de Granito, aprox. 400 m2))
    3. Pavilhão de Exposições (aprox. 3150 m2, um gabinete de secretariado)
    4. Bar (dois bares, com banca, água e corrente eléctrica)
    5. Salas de reuniões/formação (com capacidade variada, havendo salas onde é possível instalar 30 pessoas e outras entre 15 e 8 pessoas)
    6. Tasquinhas (6 cozinhas com banca em inox, balcão, exaustão, área de acondicionamento, água, corrente eléctrica, com possibilidade de utilização individual)

    O NERBA pode prestar ainda os seguintes serviços, contra o pagamento de valor a acordar:

    1. Aluguer de computador portátil
    2. Aluguer de Videoprojector
    3. Apoio e secretariado
    4. Promotoras
    5. Serviço de bar
    6. Coffee- Break
    7. Cocktail
    8. Porto de Honra

    Sãos marcos de eventos organizados pelo NERBA-AE:

    - “CARNÍSSIMA” – Festival da Carne, Certame que se distinguiu na promoção de Raças Autóctones e de produtos regionais DOP – Denominação de Origem Protegida e IGP – Indicação Geográfica de Produção.
    - Expo Educação;
    - Norcaça, Norpesca e Norcastanha, segunda maior feira internacional do País em parceria com a CMB, IPB e Região de Turismo do Nordeste Transmontano, na sua 11.ª edição;
    - AmbIbéria - Mostra de Ambiente e Energias Renováveis;
    - 1.ª Edição do Festival Internacional de Marisco de Trás-os-Montes;
    - Expo Trás-Os-Montes, uma exposição com o objetivo de promover o dinamismo económico da região, as suas especificidades, excelência e inovação, que realizará a sua quinta edição em maio de 2016.
    - Feira do Mel de Trás-os-Montes pretende-se afirmar com esta feira a singularidade e a excelência deste produto da região, pelas suas características comprovadas a nível de benefícios para a saúde, de riqueza gastronómica e suas potencialidades na utilização para a estética.


    Feiras sectoriais realizadas: Salão Automóvel e Mercado de Stocks.

  • Actividades do NERBA-AE - Qualificação de Recursos Humanos Open or Close

    O CNO - Centro Novas Oportunidades - Centro de Reconhecimento, Certificação e Validação de Competências, que iniciou em 2002, tem uma experiência acumulada ao longo destes anos no Reconhecimento, Validação e Certificação de competências – RVCC dos cidadãos do distrito de Bragança.

    O CNO criou uma "porta aberta" que funcionou como uma plataforma de ofertas educativas e formativas, dando acesso a todos os adultos, maiores de 18 anos, a uma qualificação de nível básico e secundário, elevando, assim, os níveis de certificação e conferindo valor social às aprendizagens adquiridas ao longo da vida.

    Neste seguimento, desenvolveu sinergias com os outros projectos desenvolvidos pelo NERBA-AE no sentido de encaminhar os adultos para ofertas de educação e formação (antes, durante e depois da validação das competências).

    Em termos de impacto na região do CNO, de 2008 até final de 2013:

    tabela 1

    Neste seguimento, regista esta Associação, como se lê no quadro seguinte, o resultado das inscrições nos CNO, relativo aos projectos do MOVE PME e IFE executados no período de 2009-2011:

    Inscrito CNO 11%
    Em processo RVCC 8%
    Sugerida a inscrição no CNO 40%
    Certificado 6%
    Resultado de inscrições no CNO dos projectos de formação acção

     

  • CQEP - Centro de Qualificação e Ensino Profissional Open or Close

    Em fase de implementação do CQEP no NERBA-AE (notificado a 22 de novembro de 2013), de modo a continuar a promover a aprendizagem ao longo da vida e aumentar a escolaridade da população ativa, até ao ensino secundário. Será um Centro “com porta aberta” que funcionará como uma plataforma de ofertas educativas/formativas e integração no mercado de trabalho, dando acesso a todos os jovens/adultos, maiores de 15 anos, a uma qualificação escolar e/ou profissional, elevando assim os níveis de certificação e conferindo um valor social às aprendizagens adquiridas ao longo da vida.

    Publicado em Diário da República a 29-01-2014, âmbito e atribuições do CQEP do NERBA-AE (despacho n.º 1434/2014).

    Os objectivos e finalidades do CQEP são:

    • Apoiar os jovens e os adultos na identificação de respostas educativas e formativas adequadas ao perfil de cada candidato, tendo em conta também as necessidades do tecido empresarial;
    • Desenvolver processos de reconhecimento, validação e certificação de competências (RVCC) escolares e profissionais, para adultos;
    • Colaborar na definição de critérios de estruturação de uma rede de ofertas educativas e formativas adequadas às necessidades locais de qualificação, aproximando as escolas/centros de formação das empresas;
    • Monitorizar o percurso dos jovens e adultos encaminhados para as diferentes soluções de qualificação, visando aferir o cumprimento ou o desvio das trajetórias definidas, numa perspetiva de valorização contínua;
    • Recolher informação respeitante à interação entre os resultados das aprendizagens dos jovens e dos adultos e o mercado de trabalho, tendo em vista a melhoria da qualidade do sistema de educação e formação.
      Até 03/09/2015, está aberto o aviso de concurso para apresentação de candidaturas.

    O CQEP do NERBA-AE tem como atribuições de funcionamento, o desenvolvimento de processos de RVCC Profissional, em 4 Áreas de Educação e Formação: Construção civil e engenharia civil, Protecção de pessoas e bens, Trabalho social e orientação e Comércio.

     

  • Formação Profissional Open or Close

    O NERBA-AE desde 1987, em resposta às necessidades detetadas na região, tem promovido o lançamento de iniciativas centradas em torno de grandes áreas estratégicas da formação profissional. A oferta de formação profissional, para diferentes públicos-alvo, é transversal à atuação das diferentes áreas de funcionais da associação empresarial. A atividade formativa desta Associação Empresarial está, assim, direcionada não só aos próprios trabalhadores, como dirigida ao público em geral ou a segmentos de públicos tais como empresários e gestores de empresas, jovens e adultos à procura de primeiro emprego e activos empregados e desempregados. A formação é maioritariamente de tipo inter-empresa.

    É possível organizar formação de tipo intra-empresa, formação à medida, onde cada acção é dirigida para colaboradores de uma única empresa.

    Tem conseguido concretizar parcerias na região e/ou com outras várias entidades, como um instrumento para a inovação e qualidade dos projectos, permitindo também, abranger novas áreas de formação, modalidades e organização da formação.

    Esta entidade formadora tem âmbito territorial Regional/Norte.

    Modalidades de formação:
    As modalidades de formação que têm sido desenvolvidas abrangem:
    Formação ação (formação e consultoria e/ou formação personalizada)
    Formação de atualização e aperfeiçoamento
    Formação/educação
    Esta associação empresarial tem procurado a diversificação da organização da formação, atendendo às características e objectivos da formação em causa.

    Formas de organização da formação:
    As formas de organização predominantes são:
    Formação presencial/em sala
    Formação prática em contexto de trabalho
    Formação-ação

    Áreas de formação certificadas
    O NERBA AE está certificado nas seguintes áreas de formação:

    010 - Programas de Base
    090 - Desenvolvimento Pessoal
    146 - Formação de formadores
    212 - Artes do espectáculo
    213 - Áudio visuais e produção dos media
    215 - Artesanato
    222 - Línguas Estrangeiras
    313 - Ciência política e Cidadania
    345 - Gestão e Administração
    347 - Enquadramento na organização/empresa
    482 - Informática na óptica do utilizador
    541 - Indústria Alimentar
    542 - Indústrias do têxtil, vestuário, calçado e couro
    621 - Produção Agrícola e animal
    729 - Saúde
    762 - Trabalho social e orientação
    811 - Hotelaria e restauração
    813 - Desporto
    862 - Segurança e higiene no trabalho

  • Acções de Formação Desenvolvidas Open or Close

    No âmbito do POPH - Programa Operacional Potencial Humano, que concretiza a agenda temática para o potencial humano inscrita no Quadro de Referência Estratégico Nacional (QREN), apresenta-se, de seguida, a implementação e seus os resultados:

    Formações Modulares Certificadas

    Considerando a qualificação e valorização dos recursos humanos indispensável ao desenvolvimento da capacidade da iniciativa empresarial, o Nerba assumiu a formação profissional como estratégia de acção.

    No âmbito da Tipologia 2.3 - Formações Modulares Certificadas, em execução por esta entidade desde 2008 até 31/12/2013 contabilizam-se 3 projectos formativos.

    No âmbito da Tipologia 2.3 - Formações Modulares Certificadas, esta entidade formadora viu aprovados 3 projetos de formação no âmbito desta tipologia, que representam o seguinte impacto na região:

    tabela 2

    A presente tipologia de intervenção visa a elevação dos níveis de qualificação dos activos, garantindo -lhes o acesso a módulos de formação de curta duração, capitalizáveis, realizados no quadro de um determinado percurso formativo, com vista à obtenção de uma qualificação correspondente a uma determinada saída profissional.

    As unidades de formação deste projecto são realizadas de acordo com os referenciais previstos no Catálogo Nacional de Qualificações.

    Estão abrangidas as seguintes áreas de formação:

    tabela 3

    Destaca-se a realização de um maior número de acções nas áreas do Comércio, Ciências informáticas e Hotelaria e restauração.

    Curso de Educação e Formação de Adultos

    Sendo a Associação consciente da importância da actuação sobre os públicos mais vulneráveis à exclusão, trabalhadores com baixas qualificações, desempregados de longa duração e mulheres, realizou de 2008 a 2012, 5 acções de formação de longa duração no âmbito da Tipologia 2.2. Cursos de Educação Formação de Adultos.

    Representam o seguinte impacto na região:

    tabela 4

    As áreas de formação privilegiadas foram:

    tabela 5


    EIXO 7 - Igualdade de Género

    O NERBA-AE executou uma Acção de formação, em parceira com a AIP/CE, no âmbito do Eixo Prioritário 7.4.- Igualdade de Género – POPH, na Tipologia de Intervenção 7.4. “Apoio a Projectos de Formação para Públicos Estratégicos, Formadores/as ou de Públicos estratégicos para obtenção da especialização em Igualdade de Género (40 + 20 Horas).

    Os resultados de realização são os seguintes:
    Acções de formação: 1 acção 15 formandos/as.
    Execução de nível muito bom, 100%

    Desta formação, foi criada uma base de agentes da IG na região/associação, assim como, dinamizada uma secção na sua biblioteca com bibliografia específica.

  • Parcerias para a Formação Open or Close

    O NERBA-AE tem promovido o desenvolvimento de parcerias reconhecendo que, dessa forma, não só proporciona o alargamento da sua oferta formativa a todo o distrito, como consegue apoio a nível logístico (na cedência de instalações) e apoio na divulgação e angariação de formandos/as.

    Para as acções deslocalizadas das instalações de sua sede, a entidade formadora NERBA-AE estabelece parcerias nessas mesmas localidades, com outras entidades/organizações definindo-se com elas as suas responsabilidades e as necessidades formativas.

    Salientam-se as parcerias estabelecidas, no decorrer da execução dos projetos formativos, com:

    1. Agrupamento de Escolas Miranda do Douro
    2. Agrupamento de Escola de Freixo de Espada à Cinta
    3. Junta de Freguesia Lagoaça
    4. Junta de Freguesia de Talhas
    5. Junta de Freguesia da Aveleda
    6. Junta de Freguesia de Sendim
    7. Junta de Freguesia de Espinhosela
    8. GIP Reaprender a Viver
    9. Bombeiros Voluntários, abrangendo total de 7 corporações do Distrito
    10. Associação Cultural e Recreativa de Ousilhão
    11. Casa de Caçarelhos, Lda
    12. GNR
    13. Associação Cultural e Recreativa Espinhosence
    14. Museu Abade de Baçal
    15. Centro Social e Paroquial de Baçal
    16. Junta de Freguesia de Babe
    17. ASCUT
    18. Santo Condestável
    19. ALN Nogueiro e Irmãos
    20. ACIMiranda do Douro
    21. Fundação Betânia
    22. Santa Casa da Mesiricórdioa de Vimioso
    23. ACIMirandela
    24. Freguesia da Sé/Santa Maria
    25. ACICarrazeda de Ansiães
    26. Obra Padre Miguel
    27. Agrupamento de Escola Abade de Baçal

  • Projectos que contribuem para a inovação e o desenvolvimento dos processos de mudança Open or Close

    Projecto Recursos Humanos para o Séc. XXI – RHXXI – EQUAL

    Com o objectivo de combater a info-exclusão de empresas e colaboradoras/es e numa perspectiva de desenvolvimento e manutenção da empregabilidade, o NERBA-AE participou numa parceira que construiu o produto SDC - Sistema de Desenvolvimento de Competências que visa, através da realização de um auto-diagnóstico prévio individualizado, fazer um levantamento das lacunas ou défices de competências no que concerne às novas tecnologias, gestão da informação e do conhecimento - http://www.rhxxi.uern.pt/rhxxi/.

    Foram desenvolvidas acções de sensibilização e informação na temática da IG: formação para a equipa responsável pela construção do Produto e formação junto dos utilizadores e dos agentes de desenvolvimento.

    O NERBA-AE organizou um total de 3 actividades - Actividade 2 - Preparação de Agentes Especializados para a Economia Digital, Proj. RHXXI, Actividade 3 – Desenvolvimento de Workshops, Projecto RHXXI e Actividade 4 - Formação de Agentes SDC, Projecto RHXXI, - abrangendo um total de 176 participantes, de entre entidades parceiras e entidades convidadas.

    A participação nestes Projectos EQUAL permitiu iniciar a organização de uma secção na biblioteca do Nerba AE com documentação e informação sobre projectos/produtos da temática IG.

     

    Projecto BOLINA - EQUAL

    O NERBA-AE apropriou-se de um guia metodológico de suporte à emergência e sustentação de comunidades de prática em contexto empresarial, um centro de recursos virtual (wiki) de suporte a comunidades colaborativas e comunidades de prática – http://ColaboraComWiki.wikispaces.com .

    Foram realizadas uma acção de Formação Continua de Formadores “Para uma Aprendizagem Colaborativa”, uma seminário com a equipa do CNO do NERBA-AE para construção de uma acção de desenvolvimento de uma comunidade colaborativa entre CNO.

  • Estágios Profissionais Open or Close

    Em junho/97 quando o NERBA-AE constitui-se como Entidade Organizadora da Medida Estágios Profissionais, promovida pelo IEFP, IP - De 2002 a 2007 – promoveu as medidas de apoio à integração de desempregados/as nas empresas da região.

    Na atualidade, tem promovido um serviço de apoio às empresas que passa pela prestação de informação sobre as medidas existentes, apoio na candidatura e no Job matching.

    Nos anos de 2010, 2011 e 2012 esta associação 6 candidaturas a diferentes medidas e prestou várias informações a empresas e pessoas interessadas.

    Neste âmbito o NERBA-AE tem colaborado com o IEFP, IP na organização de sessões públicas de apresentação de diferentes medidas Por exemplo em março/2012, apresentação da medida Estímulo 2012.

    No ano de 2015, convidou os Serviços de Emprego como oradores na sessão Saiba como aproveitar as oportunidades do PORTUGAL 2020, em co-organização NERBA-AE com as autarquias e Associações Comerciais do distrito de Bragança, para apresentar as Medidas de Apoio ao Emprego, Estímulo Emprego e Estágio Emprego.

  • Programa InovJovem Open or Close

    Medida 2 - Formação e estágios em PME

    O NERBA-AE promoveu em parceira com a AIP/CE a medida 2 do programa InovJovem, 2 acções, de Novembro de 2006 a Maio de 2008.

    Os objectivos desta medida foram: dinamizar, para as PME, um projecto que permita o aumento e a qualificação de quadros técnicos e Jovens, proporcionando a sua rápida integração em estruturas empresariais e contribuir, para a atenuação do problema do desemprego qualificado, pela via da inserção de qualificações de nível superior em áreas importantes para a inovação e desenvolvimento empresarial.

    Participaram um total de 35 empresas, das quais 25 eram Microempresas e 10 PME. Taxa de empregabilidade na acção 15: 72%; na acção 27, de 60%.

    Medida 1 - Estágios Profissionais, do InovJovem

    Em 2008, com a abertura da candidatura, o NERBA-AE é entidade Medida 1 - Estágios Profissionais, do Inov Jovem. Foram realizados 15 estágios profissionais no distrito.

    Experiência em Projectos de Formação-Acção

    O NERBA-AE executa projectos de formação acção desde o início da sua actividade formativa. Estes projectos aliam a componente de formação presencial com consultoria, procurando a melhoria dos processos de gestão das micro, pequenas e médias empresas e o reforço das competências dos seus dirigentes, quadros e trabalhadores.

    Foram executadas, até o ano de 2006, 5 edições do programa inPME, o programa ICPME, o Consolidar e o inPME S@ber-Fazer.

    No âmbito da Tipologia de Intervenção do POPH, Formação Acção para PME (MOVE PME e IFE - Iniciativa Formação Empresários) do organismo intermédio AIP/CCI, o NERBA-AE actuou, de junho/2009 até dezembro/2015 num total de 178 empresas de todo o distrito.

    Da análise global, salienta-se o impacto em termos do projecto MOVE PME para a associação e região é o seguinte:

    tabela 6

    IFE - Iniciativa Formação para Empresários

    A Iniciativa Formação para Empresários teve como objectivo reforço e desenvolvimento das competências dos empresários de PME através da realização de acções de formação e de aconselhamento que respondessem às suas necessidades, visando a melhoria da sua capacidade de gestão e o aumento da competitividade, modernização e capacidade de inovação das respectivas empresas.

    Tendo em consideração o perfil de qualificações e as necessidades de aquisição de competências identificadas junto dos empresários actuantes na área de intervenção do NERBA-AE, realizaram-se 2 acções, sendo uma de Competências em Gestão – Nível Base e outra acção Competências em Gestão - Nível avançado.

    Tendo em consideração o perfil de qualificações e as necessidades de aquisição de competências identificadas junto dos Empresários actuantes na área de intervenção do NERBA-AE, realizar-se-ão 2 acções, sendo uma de Competências em Gestão – Nível Base e outra acção Competências em Gestão - Nível avançado.

    O projecto de Formação do NERBA-AE implica a execução de uma acção para 13 empresários/as para Competências em Gestão – Nível Base e outra acção para 13 empresários/as para Competências em Gestão - Nível avançado, perfazendo um total de 26 participantes.

    Componente de formação: constituído pela componente de Formação teórico-prática “Competências em Gestão”, com um total de 75 horas e pela componente de Aconselhamento Individual, com um total de 50 horas.

    A tipologia de formação Competências em Gestão — Nível Avançado é objecto de reconhecimento pelos estabelecimentos de ensino superior, no quadro do Sistema Europeu de Acumulação e Transferência de Créditos (ECTS).

    Apresentam-se de seguida os resultados quantitativos contabilizados:

    tabela 7

    MOVE PME

    O projecto MOVE PME, integrado na tipologia do POPH, 3.1.1 de formação-acção individualizada, tem por objectivo conduzir e apoiar as Micro, Pequenas e Médias Empresas a atingirem padrões de desempenho mais competitivos, recorrendo para o efeito a metodologias formativas activas e diversificadas.

    Em termos de impacto global na região e mais especificamente para o NERBA-AE, reconhece-se que, a eficácia deste projecto depende, em grande escala, do envolvimento do/a empresário/a, como indicado nos pontos fortes deste e de os outros projetos. Reconhece-se ainda que, um dos grandes méritos desta tipologia de projectos está nos avanços na consciencialização do/as empresários/as relativamente à importância e utilidade da formação como ferramenta activa na gestão das empresas. Trata-se efectivamente de um avanço na cultura empresarial, com fortes impactos a médio/longo prazo.

    Os projetos executados na região foram:

    tabela 8

    Programa inPME

    O inPME é um Programa de Formação-Acção e Consultoria, dirigido a empresários, com aplicação regional pelo NERBA-AE, em parceria com a Associação Industrial Portuguesa (AIP-CE), que colocou à disposição de PME, empresas até 50 trabalhadores ao seu serviço, a oportunidade de elaborar um plano de negócios. A última edição, realizada no ano de 2006, introduziu a metodologia do Balanced Scorecard.

    O NERBA-AE realizou, de 2002 a 2006, 5 edições deste projecto.

    O número total de empresas participantes nas cinco edições do inPME foi de 65 empresas.
    Empresas participantes por dimensão
    1-9 Trabalhadores: 28
    10-49 Trabalhadores: 37
    O projecto apresentou várias componentes de intervenção, implicando cada uma destas componentes algumas actividades, conforme se apresenta:
    Formação dirigida aos empresários - formação em sala, apoio ao auto-estudo e consultoria
    Foram realizadas 456 horas de formação dirigida aos empresários, num total de 5840 horas de volume de formação, representando 97,46% de execução.

    Nesta fase de elaboração do Plano Estratégico, realizaram-se um total de 7931 horas de consultoria.
    Formação contínua dirigida aos quadros e trabalhadores – Formação em áreas consideradas pertinentes junto dos trabalhadores das empresas
    Nesta componente de formação, realizaram-se 30.355 horas de formação, abrangendo 1156 formandos/trabalhadores das empresas inPME.

    Consultoria para início da implementação dos planos estratégicos – Consultoria nas áreas definidas no plano de negócios.
    No total destas edições, foram executadas as seguintes horas na componente de consultoria de apoio à implementação do plano de negócios:
    Dimensão das empresas 1-9 10-50
    Horas totais de consultoria 2616 3168

    CONSOLIDAR – Programa de Consolidação de Microempresa

    Nos anos de 2004 e 2005 o NERBA-AE executou o projecto CONSOLIDAR II – Programa de Consolidação de Microempresas, inserido nas AVDE/ICPME (Acções Voluntaristas de Dinamização Empresarial/Iniciativa Comunitária Pequenas e Médias Empresas). Este projecto finalizou em Março de 2005.

    A população-alvo foram gestores de Micro e Pequenas Empresas, isto é, empresas até 9 ou até 50 trabalhadores, com projectos apoiados pelos diversos sistemas de incentivos do QCA II e QCA III, designadamente pelo SIPIE.

    O número de empresas participantes foi de 15.
    Empresas participantes por dimensão 1-9 trabalhadores: 11, 10-49 trabalhadores: 4
    Na componente de formação em sala, foram executados 100% do volume previsto – 840 horas.

    Na componente de formação-acção nas empresas, foram executadas o total de 1200 horas, para o desenvolvimento do Levantamento SI, Acompanhamento do Diagnóstico e implementação do Plano de Acção nas 15 empresas.

    Foram igualmente entidades destinatárias, na vertente formativa, todos os técnicos e formadores envolvidos no projecto e as Associações Empresariais pivot.

    Foram produzidos dois manuais, disponibilizados no portal do projecto:

    • Guia de Elaboração do Manual da Qualidade para Empresas que Aspirem a ter Um Sistema de Qualidade Formalizado (Em suporte digital) Destinadas às Micro e Pequenas Empresas.
    • Um Manual de Segurança e Higiene no Trabalho para Pequenas e Médias Empresas (Em suporte digital), destinado às Micro e Pequenas Empresas.

    LINHA2 - inPME S@BER-FAZER

    Esta nova linha de intervenção introduziu a componente de apoio à distância às empresas e aos empresários e o trabalho colaborativo via internet.

    As áreas seleccionadas por esta entidade executora procuraram responder a necessidades detectadas nas PME do Distrito - Higiene e Segurança no Trabalho e Direito Comercial.

    O NERBA-AE contou com a participação de 12 empresas e seus representantes do Distrito, por área de formação.

    Foram executados:
    Formação
    Tutoria (distância): 36% do volume de formação
    Presencial 80 % do volume de formação
    Consultoria
    Consultoria Assistida (distância) 68% do volume de formação
    Consultoria Presencial 31 % do volume de formação

    A execução deste Projecto teve uma componente que propôs a realização de dez Seminários: Gestão do Caos, Organização do Sistema de Higiene e Segurança, Sistemas de Informação Aplicados à Gestão, Organização Documental, Avaliação de Desempenho, Responsabilidade dos Gerentes e Administradores das Empresas, Gestão Fiscal, Gestão Administrativa de Recursos Humanos e as implicações de Regulamentação laboral, Responsabilidade Ambiental e Gestão de Processos

    Programa ICPME

    A Iniciativa Comunitária PME foi um Programa de apoio ao investimento das PME portuguesas no reforço da sua posição concorrencial. A orientação do Programa baseou-se no princípio de que a aquisição de vantagens competitivas implica uma abordagem global da empresa e se alicerça na busca da excelência em factores determinantes da competitividade tais como a eficiência, qualidade, inovação e satisfação do Empresário.

    Este vector do Programa ICPME procurou promover, através de intervenções conduzidas pela Administração, condições externas mais favoráveis ao desenvolvimento das PME. Com este objectivo, pretende-se disponibilizar informação relevante para a análise estratégica, oferecer oportunidades de formação ajustadas às necessidades dos empresários e criar novos instrumentos financeiros orientados para a redução do risco nos negócios. Participaram um total de 13 empresas.

    Empresas participantes por dimensão
    1-9 trabalhadores: 12
    10-49 trabalhadores: 1

    A intervenção na empresa apresenta uma execução de 100% um total de 1040 horas (80horas por empresa). O projecto permitiu a execução de um total de 40 horas de seminários temáticos: Gestão Estratégica, Motivação, Gestão Financeira e Sistemas de Informação num total de 520 horas de volume de formação, o que representa 100% de execução.

  • Prestação de Serviços Open or Close

    O NERBA-AE estabeleceu parceria com a AIP/CCI – Associação Industrial Portuguesa – Câmara de Comércio e Indústria para a concretização de duas acções em Bragança integradas na medida Vida Ativa.

    A proposta de concretização no âmbito do percurso formativo Formação em Empreendedorismo, foi o seguinte:

    tabela 9

    Em termos de execução final, constatamos uma execução a nível dos 87,83%.

     tabela 10

    De seguida, apresenta-se a lista de empresas receptoras de formandos para a concretização da Formação prática em contexto de trabalho

    tabela 11

     

    Workshops Produção e Ecoeficiente do Azeite e do Vinho e Eficiência Energética na Indústria Agroalimentar

    O NERBA-AE foi contratado pelo Instituto Politécnico de Bragança para a concretização de dois workshops sendo que um deles esteve integrado no projeto ECODEEP – Eco eficiência e a eco gestão no sector agro-alimentar e um Workshop Eficiência Energética na Indústria Agroalimentar

    Workshop Eficiência Energética na Indústria Agroalimentar

    Objetivo
    Apresentação de uma ferramenta de análise energética para o setor agroindustrial português, a partir do conhecimento do uso da energia e eficiência energética no setor agroindustrial e avaliação do desempenho dos sistemas de refrigeração nas indústrias agroalimentares.

    Total de presenças –57 pessoas
    % de execução das presenças face às inscrições recepcionadas –154,05%

    Comunicação social
    Asseguraram a cobertura do workshop os meios de comunicação Rádio Brigantia, Jornal Nordeste e Jornal Mensageiro de Bragança.

    Workshops Produção e Ecoeficiente do Azeite e do Vinho

    Objetivo
    Aceder a um conjunto de ferramentas, com base na avaliação do ciclo de vida (ACV) que possam ser usadas pelas diferentes empresas dos setores do vinho e do azeite e óleos, permitindo-lhes ter uma maior compreensão dos seus processos produtivos, das suas ineficiências e das melhores opções para as ultrapassar..

    Presenças
    Total de presenças – 72 pessoas (% de execução das presenças face às inscrições recepcionadas – 171,43%)

    Comunicação social
    Asseguraram a cobertura do workshop os meios de comunicação Antena 1, Rádio Brigantia, Jornal Nordeste e Jornal Mensageiro de Bragança.

    Tecnologias de Informação e Comunicação

    O NERBA-AE presta serviços na área das TIC: consultoria a nível informático, realiza projectos internet nas mais diversas linguagens de programação, abrangendo assim diversos aspectos da Internet. presta serviços na área de Redes e Comunicações. Configuração da rede Interna de uma empresa. Estudo da melhor solução de comunicação dentro de uma organização. Ligações Internet.

    Portugal Sou eu

    No reconhecimento da importância da valorização dos produtos portugueses, o Nerba colabora com o Programa "Portugal Sou Eu”. Neste sentido, organizou com a AIP/CCI a sua apresentação regional, no dia 07fevereiro, nas suas instalações. Além da sua apresentação foi organizado um espaço exterior com Gabinetes de Atendimento Personalizados do Programa.

    Implementação de projectos de formação para a Administração Pública Central

    De Setembro de 2009 a Maio de 2010, o Nerba prestou serviços de formação profissional na implementação do Plano de Formação da DRAPN.
    Realizaram-se de 70 acções de formação, repartidas pelas localidades de Braga e Mirandela, sendo que, 36 acções foram realizadas em Braga e 34 Acções de formação, em Mirandela, o que representa,
    Os indicadores relativos à execução global são os seguintes:
    Volume de Formação previsto: 13.248
    Volume Executado: 11.869,5
    Taxa de Execução: 90%
    N.º de Formandos executado/presenças: 932
    Taxa de Execução: 92%

 

Descarregue a apresentação completa do NERBA-AE.

Descarregar

 

Siga-nos